20 janeiro 2010

A TRAGÉDIA DO HAITI E OS INQUISIDORES “CRISTÃOS”




A tragédia que se abateu sobre Haiti deveria servir para uma acurada reflexão, haja vista a similaridade existente entre a história desse país e a nossa. Fomos um dos últimos países do mundo a abolir a escravidão negra.


Os colonizadores portugueses eram mensageiros de um “deus ocidental” que fazia vistas grossas para o comercio de escravos ─ mão de obra barata para o desenvolvimento da colônia. O “deus de Portugal” e dos nossos colonizadores não levava em conta a libidinagem e atrocidades sexuais que eram realizadas contra as inocentes índias, que a troco de panos, espelhinhos e outros mimos eram violentadas, sem dó nem piedade.


Os historiadores narram que o Brasil Colônia era a terra dos pecados, e associavam a liberdade sexual à ausência quase completa de religião entre os nativos.


O machismo e o racismo com algum verniz de religiosidade cristã foram plantados em nossa terra desde o início de nossa colonização. À medida que as almas eram aprisionadas nos currais desse deus ocidental, os corpos das negras e índias eram devassados, e suas intimidades estraçalhadas pelos ferozes homens apóstolos desse violento deus.


O inferno e o terror do apocalipse eram as armas secretas e ameaçadoras, que os donos do poder colonial lançavam contra aqueles que não se submetiam aos seus desígnios.


O drama do povo Haitiano, explorado de forma ignominiosa por quem deveria zelar pelo seu bem estar, nos faz reportar a nossa História. A história do Haiti parece com a nossa, de duzentos anos atrás. Talvez, seja por isso que a tragédia que se abateu sobre os nossos irmãos negros desse sofrido país nos toca profundamente; talvez seja por em nossas veias ainda correr o sangue desse povo, que foi arrancado violentamente de seus lares africanos para servirem de animais de carga por três séculos em nossas terras.


Mas há quem veja nisso a mão divina. Há quem veja na tragédia recente o castigo divino, sem misericórdia, sobre um povo que por fazer parte de outra cultura religiosa, que não a do “deus ocidental”, deve então estrebuchar e morrer em meio a rios de sangue. Aí os impostores cristãos deitam e rolam citando inúmeros trechos bíblicos para justificar a sua sanha vingativa e racista. Bradam de peito estufado: "Está escrito... Está escrito lá no livro de Fulano, de Beltrano..." ─ é a Bíblia usada para fins pérfidos, maléficos e diabólicos. Os impostores de uma figa dizem: “eles estão colhendo o devido pagamento, por serem os que receberam a marca de Caim na testa, devendo por isso sofrer indefinidamente enquanto vagarem pela terra”.


Infelizmente, o espírito pedante dos nossos colonizadores está presente em alguns “cristãos” da blogosfera. Eles estão radiantes ao tripudiar sobre os nossos irmãos negros haitianos. A dor dos negros é a vitória do seu hediondo deus. E ainda dizem descaradamente: “Te prepara Brasil ─ o próximo castigo virá sobre ti!!!”


Esses falsos arautos de um deus vingativo não vêem que temos uma dívida impagável e imperdoável, tal qual uma mancha inapagável, permanece em nossas consciências, naquilo que foi o insano “tráfico negreiro”.


Amigos, ao invés de desfrutarem o bárbaro deleite de fazer juízo apocalíptico sobre uma nação vilipendiada pelos poderosos, se ajoelhem, ponham a cara no chão e peçam perdão pelos pecados do racismo, da ambição, e do cinismo que por ora dominam as suas mentes! Fujam da cegueira que não permite os olhos enxergarem em cada Haitiano, um Cristo que sofre e pede socorro!


Nunca é demais lembrar que quem semeia a intolerância a colhe em dobro.




Levi B. Santos

Guarabira, 20 de janeiro de 2009


11 comentários:

Danilo Fernandes disse...

Espetacular!

Tony Ayres disse...

Caro Levi:

Compartilho contigo o peso de sua revolta e de seu não conformismo em relação a alguns "pensadores cristãos" que, a meu ver, precisam reler o Novo Testamento e conhecer, de verdade, a essência do evangelho de Jesus.

Jair dos Santos disse...

Só nos resta lamentar e chorar não á palavras.

Levi Bronzeado disse...

Reproduzo aqui um comentário do editor do blog Ministério Beréia Angola, sobre o texto postado no blog "Púlpito Cristão" com o título:

"Julio Severo e suas ridículas declarações sobre o terremoto do Haiti".


Ministerio Bereia Angola disse...

triste, muito triste!!
é claro que há varios equivocos nos escritos do irmão Julio, coitados de nos que somos africanos e quão abençoados sãos os europeus que nos dizimaram durante secúlos,roubaram as nossas riquezas e atrazaram a nosso continente,sem contar com os milhares que foram arrastados para locais como o propio Haiti.

Apesar de achar um sarcasmo o texto de Julio Severo, devemos sempre chamar atenção a ele como irmão.
POR FAVOR IRMÃOS SEJEMOS MODERADOS NO FALAR...SABENDO QUE ESTAMOS FALANDO SOBRE UM IRMÃO E COMPANHEIRO NA BLOGOSFERA CRISTÃ(gL6:1).
MANSIDÃO POR FAVOR!!
Manuel Dilandamoko,direitamente de africa(continente amaldiçoado???e berçp verdadeiro do povo irmão do Haiti).

21 de janeiro de 2010 19:59

Marcio Alves disse...

Desculpe-me mestre Levi, por ainda não ter comentado o seu ensaio, pois esses dias, estou sem tempo, por causa do meu trabalho, e sinto que tenho um compromisso contigo que não posso falhar!!!

Assim que tiver um tempinho, eu com certeza irei ler e comentar a sua postagem!!!!

Abraços

Eduardo Medeiros disse...

Levi, no domingo passado tive o desprazer de ouvir uma irmã dizer que o terremoto no haiti era castigo divino devido à idolatria, que deus já tinha dado muitas oportunidades para eles se arrependerem, mas que agora, a paciência divina tinha se esgotado.

Senti meu estômago embrulhar diante de tais palavras!! refutei-as na hora e acabei criando uma confusão na classe onde estávamos.

Fui chamado de polêmico. Bom, até que saí no lucro rssssss

É difícil conviver com pessoas que se dizem "filhas de deus" mas que fazem desse deus uma cópia de si mesmas: vingativa, intolerante e fundamentalista.

José Lima disse...

Caro Levi.
Esse seu texto, me fez reviver o meu passado religioso, que me deixou um legado de que “Deus é causa e tudo o mais é efeito”, a partir daí construí uma teologia homicida, de ajustar todas as contingências da vida a uma resposta simplista:

- Se a tragédia se abatesse sobre o “ímpio”, era a mão de Deus pesando sobre o pecado dele, se fosse sobre o “santo”, era Deus o provando para lhe dar algo melhor!

Hoje se ainda sou tolerante com as pessoas que vivem assim, certamente deve-se ao fato de que ao olhar para elas vejo o meu passado nelas, e assim como não me destruíram na minha ignorância, não quero os destruir por ter esperança de que tenham a oportunidade de rever os seus conceitos, e sair dessa lógica maldita!

Na realidade não sou bom com eles por eles, mas porque ter misericórdia deles é ter misericórdia de min... Essa misericórdia não tem sua gênese em min, mas de min, que ao me ver neles desperta uma bondade interesseira em min, um mecanismo de defesa egoista, que ainda tenho medo de que venha precisar da misericórdia de outro, e não tenha crédito, por isso tenho misericórdia deles! (Afff! Como sou ruim! Rsss).

Assim como tive a oportunidade de mudar e não desperdicei peço a Deus que de sabedoria a esses para ler um pouco mais estudar, e abrir o entendimento para que sejam salvos deles mesmos!

Abraço!

Levi Bronzeado disse...

Caros amigos Danilo, Tony, Jair, Eduardo e J.Lima


Creio que é tempo de revisarmos conceitos e paradigmas arcaicos, para entender que a finalidade da religião é libertar e não esmagar. É libertar da culpa e não culpar. É tornar o jugo suave e não árduo. É tornar o fardo leve e não pesado.

Não é brandindo a espada do medo, do castigo eterno contra nações indefesas como o Haiti, que iremos salvar os que estão se afogando nas águas turvas, revoltas e profundas desse imenso oceano que são as trevas da ignorância.

A palavra ameaçadora, filha do medo, ao invés de ajudar as almas a não naufragarem, antes semeia a intranqüilidade que as leva mais rápido ao fundo do abismo.

Ante a sanha vingativa de alguns blogueiros “cristãos”, que consideram como justiça de Deus a morte de crianças, pais e mães haitianos, é que indignado, como Cristo diante dos cambistas do Templo, redigi esse texto-repúdio.

Como você deixou bem claro no seu comentário, J. Lima, talvez, toda a minha indignação seja fruto do terror e medo semeado por meus pais e mestres nos meus tempos de menino igrejeiro, quando ouvia de olhos arregalados os bordões:

“Deus vai requerer!”

“É sua obrigação!”

“Cuidado para não pagar o preço!”.



Sou grato pelos comentários de todos.
Recebam o meu fraternal abraço


Levi B. Santos

Guiomar Barba disse...

Ou vocês pensam que aqueles dezoito que moreram, quando caiu a torre de Siloé, eram mais culpados do que todos os outros habitantes de Jerusalém? Eu lhes digo que não! Mas se não se arrependerem, todos vocês também perecerão. Lucas 13.4,5.

A mim me coube corar por só lembrar dos nossos semelhantes mais pobres do mundo após esta tragédia tão dolorosa.
Abraço.

Marcio Alves disse...

Mestre Levi

Demorei mas enfim cheguei, mesmo que seja para ser o lanterninha, o último a comentar. Rsrsrs
Faz um bom tempo, que eu não sei o que é ser o último, estou tão acostumado a ser o primeiro. Rsrsrsrs
Mas vamos lá...........concordo e assino em baixo tudo que você escreveu, não há o que discutir – pelo menos para mim.


Realmente é lamentável tal atitude por parte do conservadorismo teológico, pois de fato, não há nada pior, não há nada que fere a honradez humana, do que os “supostos guardiões da reta doutrina” explicarem o mal no mundo, mas propriamente os acidentes e tragédias naturais como a “providencia divina” ou “vontade permissiva de Deus” – que alias, não fede e nem cheira, pois no fundo é dizer a mesma coisa, que foi da “vontade" de Deus – ou pior ainda, é dizer que foi castigo de Deus.


Castigo de Deus?????


Às vezes me pergunto:
Há países tão idolatras do ponto de vista cristão, quantos os haitianos o são, e porque Deus não os castiga da mesma forma????


Será que Deus para mostrar o seu poder ao mundo, precisa fazer isto????


E mais precisamente, fazer isto com os indefesos e pobres????


Porque Deus não faz com os países de primeiro mundo, que tem condições estruturais e governamentais para se protegerem e amenizarem as catástrofes??


Deus só ataca os indefesos????


Deus então seria covarde????


Em segundo lugar, ao invés do protestantismo tradicional falar abobrinha, ou questionar Deus, que sejamos as bocas, mãos, pés e vidas de Deus aqui na terra, pois Deus não esta na origem do caos, mas na sua reconstrução!!!


E toda pessoa envolvida na reconstrução do caos, está, independentemente da cor, sexo, religião e condição social ao lado de Deus!


Pois Deus é vida, preserva vida, está ao lado da vida, relativiza tudo por causa da vida, pois ele ama as nossas vidas, tanto que deu a sua vida para que a nossa vida, seja vida vivida com muita vida!


Quando questionam a Deus, o porquê de Ele ter permitido, como por exemplo, o atentado nas torres gêmeas, ou Ruanda, ou o holocausto de milhões de judeus, eu questiono também, só que não Deus, mas sim os homens, ou seja, nós todos:


Porque nós deixamos coisas como o holocausto judeu acontecer??


Porque não impedimos????


Porque ao invés de investir nas pessoas, tentando ajudá-las, gastamos bilhões em investimentos militares????


Como posso questionar a Deus, por ter morrido uma pessoa com bala perdida, se fomos nós que criamos armas?????


DEUS NÃO TEM NADA HAVER COM NOSSAS MALDADES!!!!!!!


Abraços meu amigo

Gláucia Carneiro disse...

Todo o ataque sobre o povo haitiano é somente por causa da cor da pele deles.

Se eles fossem brancos, a opinião de cada um desses algozes seria outra.

Como a cor da pele muda o que está cheio no coração das pessoas.