06 agosto 2010

“Ensaios & Prosas” Faz Quatro Anos


Foi no dia 06 de agosto de 2006, que resolvi adentrar no mundo da internet. Substituí o papel por uma tela de computador, e a minha caneta troquei por um teclado. De lá para cá, já se vão quatro anos que vivo engolfando a minha alma nesse recanto cibernético. É de frente a uma telinha luminosa que eu me exercito na arte de escrever como também na arte de ouvir, e, enquanto passam as páginas cinzentas dos dias e as páginas negras da noite, vou interagindo com uma grande rede de amigos virtuais, com os quais me identifiquei, talvez por terem histórias muito parecidas com a minha.

Talvez, quem sabe, esse desejo impulsivo de Ler — Escrever — Ler — Escrever... que me anima, seja um reflexo dos meus treze e quinze anos de idade, quando encolhido sob as tábuas de um banco de minha velha mãe, comercializava roupas e tecidos na Grande feira de Sábado em Alagoa Grande (PB). Era nos intervalos entre as vendas que eu me escondia a fim de matar a fome de leitura.

Lembro-me daquela época como se fosse hoje. E não é que pareço sentir o júbilo incomum que tomava conta de mim, quando esparramado no chão de cimento e pedra lia com avidez incomum, velhos jornais e revistas semanais, como O Cruzeiro e Manchete, que eram usadas como papeis de embrulhos para as roupas comercializadas. Recordo que recortava secretamente, com todo esmero, os artigos de Rachel de Queiroz, de Mário de Moraes e de David Nasser, para guardá-los em casa a sete chaves, no fundo de uma mala, sem saber que naquele solitário e nobre ato, estava inaugurando a minha primeira e rústica biblioteca. Passam na minha mente, agora, as grandes coleções de ensaios e crônicas do cotidiano daquela época, que se perderam, decerto, nas arrumações de casa efetuadas de tempos em tempos. Por achar que todo aquele monte de papeis velhos e encardidos de nada valia, alguém, provavelmente, deve ter jogado fora todo o meu acervo literário dos tempos de minhas primeiras incursões no mundo fantástico das letras.

Hoje, embora sentindo o peso da idade, posso assegurar que não desvaneceu a chama que me queimava o peito nos tempos de outrora. Nesse intercâmbio virtual intermediado pela PALAVRA, tenho feito muitas amizades. São inúmeros os amigos com quem troquei idéias e confidências, a maior parte deles está no quadro de seguidores no topo do blog. Entre os seguidores amigos, destaco Leonardo Gonçalves, Danilo Fernandes e Luis Paulo que foram os primeiros da blogosfera a me incentivarem, republicando com coragem e ousadia diversos ensaios “heréticos” de minha autoria em seus blogs de Apologética.

A todos que nesses quatro anos, interagiram aqui no “Ensaios & Prosas”, especialmente os amigos do peito da "Confraria dos Pensadores Fora da Gaiola"[C.P.F.G.], da qual faço parte, dedico-lhes a minha primeira postagem publicada em 6 de agosto de 2006.


............. CONTOS ESCONDIDOS

..........

.........Ah! Se realmente soubesses...

.......A minha alma empolgada

.......Embebida nos teus contos.

..........Seria aquilo inveja?

.......Versos enfim escondidos

........Por não saírem de mim?



........Se foi inveja escondida,

......Hoje o que agora escrevo

........É fruto de tua escrita

.....Pois ela encontrou guarida

.......Fez ninho, gerou, nasceu

........No coração deste velho

........


........Me deste total apoio

....Ao leres meus pensamentos,

......Que p’ra contê-los teria

.....Que negar a própria fonte,

.Que por ser tua e também minha

.......Quis jorrar esta poesia.


Guarabira, 06 de agosto de 2010

Agora, ouça o editor do blog no seu velho piano alemão, tocando "Feira de mangaio" do saudoso sanfoneiro paraibano Sivuca.

16 comentários:

Elídia :) disse...

Parabéns para o senhor; em um mundo virtual conturbado, ao passar aqui sempre que posso, encontro alento em suas palavras, Deus lhe abençoe, muito e sempre.

Luis Paulo Silva disse...

Irmão Levi, fico honrado com a citação de meu nome nesta postagem commemorativa. Cofesso que ao me afastar por algum tempo do blogosfera senti falta de ler os seus "ensaios e prosas" que sempre germinaram boas sementes em minha mente resultando em textos e conclusões iluminadas pelo nosso Pai, e que ao reler até home me edificam.
Sempre achei interessante o fato de você postar por muitas vezes exatamente o que passava em minha mente algumas vezes de forma que que muitos textos seus tem temas iguais aos meus nas mesmas datas e eu só percebia após dar a minha passada diária pelo seu recanto no Google.

Meus parabéns, que Deus o abençõe mais ainda.

Luis Paulo Silva.

Micheline Gomes disse...

Parabéns meu irmão Levi! Seu blog é uma bênção e traz exortação, edificação, poesia... Enfim... Excelente!
Louvo a Deus por sua vida.

Sua conterrânea nordestina

Micheline.

Edson Moura disse...

Leví meu mestre Bronzeado, podes não acreditar, mas os olhos marejaram agora. Principalmente ao ouvir você tocando uma das mais belas páginas do cancioneiro popular nordestino...e por que não dizer...brasileiro.

Cofesso que cresci, como bem bem sabes, ouvindo cordel do meu pai, e "Feira de mangáio" com meu padrasto...que é um segundo pai, e que também é Paraibano.


Ainda arranho uns acordes no violão destas pérolas do passado..e não faço feio não viu? Mas se tu fazes isto com um piano, imagina só o que não aprontas com uma sanfona!rsss

O texto é maravilhoso, e vou dividir um conto contigo também:

Eu tenho o hábito de recortar jornais e revistas, e sempre deixo estes recortes espalhados pela casa. Dia desses, minhas filhas inventaram de fazer uma faxina aqui em casa...e adivinha só...

Pois é, jogaram tudo fora! kakakkaka!

Parabens por nos presentear com sua presença sempre ativa na blogosfera Levi!

Semana passada na escola, um professor pedia para que eu citasse alguns poetas que gotava, e entre Rubem Alves, Fernando Pessoa, e Carlos Drumond de Andrade, não pude deiar de não falar de Leví Bronzeado...para espanto de meu professor.

Tenho orgulho de poder chamá-lo de amigo e mestre!

Abraços mano-véio!

Leonardo Gonçalves disse...

Grande Levi!

Parabéns pelos quatro anos de "Ensaios & Prosas". Maior que o prazer de ler seus textos é somente a honra de poder te chamar de amigo.

Me sinto honrado em ser mencionado neste texto, mesmo porque eu é que fui estimulado a continuar blogando lendo seus ensaios e prosas. Você é um grande pioneiro, meu irmao!

Nao passei antes porque estava todo enrolado lá no "Púlpito", mas cheguei à tempo de reclamar meu pedaço de bolo (risos!).

Um grande abraço, e que Deus te abençoe muito, e sempre, e cada dia mais.

Leonardo Gonçalves.

Eduardo Medeiros disse...

Levi, mestre maior da Confraria e amigo do peito de todos nós, parabéns pelos quatro anos da bela e profunda biblioteca que é o Ensaios & Prosas.

Sabe, de vez em quando eu fico fuçando os arquivos do teu blog e lendo textos mais antigos. Por exemplo, emocionei-me muito ao ler o texto em que você conta o trágico acidente que levou teu pai ainda tão novo. Aquele teu pai que profetizou que serias médico!

E que grata surpresa ouvir e ver você deslizando dedos ágeis nas teclas do piano! Não sabia que além de ensaísta, prosador, poeta, pensador da existência, também eras músico. E dos bons!!! Assim como nosso amigo Edson, também faço uma graça ao violão pois a família da minha mãe tem músicos, cantores, instrumentistas e não saber tocar pelo menos um pouquinho de violão é vergonha para a família Medeiros rsssss

E é claro, a mesma mania que você tinha (e ainda deve ter?) e o Edson tem, também tenho eu. Aqui em casa são dezenas de pastas com todo tipo de artigos recortados de jornais e revistas, fora, um monte de jornais e revistas que eu guardo não sei porquê..rsssss Estou sempre pensando em digitalizar tudo mas ainda não tive coragem para a empreitada.

Enfim, mais uma vez, parabéns pelos quatro anos e que você ainda continue por muitos anos escrevendo, debatendo, instigando, emocionando e ensinando a todos nós, teus amigos da Confraria.
Que o supremo Bem que a tudo abraça, pois nada subsiste fora Dele, seja Presença constante na tua alma, mente e coração.

abraços

Levi Bronzeado disse...

Elídia

É nesse sadio intercâmbio traduzido por palavras, que fazemos amigos para compartilhar experiências, que como bem sabiamente disse você, trazem ALENTO nesse mundo tão cruel e conturbado.

Sou grato pela sua visita a essa sala, e almejo que volte mais vezes.

Abçs,

Levi B. Santos

Levi Bronzeado disse...

Meu caro amigo Luis Paulo


Tenho gratas recordações do começo do nosso caminhar na blogosfera.

Nesse momento não poderia deixar de lembrar do esforço pioneiro por você empreendido, em levar a frente a ideia de um blog coletivo - "Coleções de Blogs" -, que por muito tempo republicou os textos mais instigantes da confraria de amigos que tínhamos na blogosfera cristã.

Sua presença(e seu comentário) aqui nesse espaço, foi muito gratificante para mim.

Receba um caloroso abraço, do amigo de sempre

Levi B. Santos

Levi Bronzeado disse...

Professora e amiga Micheline


Que bom vê-la aqui de novo!

A você, que foi a primeira nordestina da terra do saudoso Luiz Gonzaga (Rei do Baião), a comentar aqui nessa sala, o meu muito obrigado pelas palavras que só me incentivam a continuar escrevendo, mais e mais...

Do paraibano cabra da peste,

Levi B. Santos

Levi Bronzeado disse...

EDSON

Pelo que você acabou de comentar, só posso dizer que temos muito em comum:
o gosto pela poesia, pelo cordel, pela música nordestina, o gosto pelo violão, que por sinal foi o primeiro instrumento que manuseei, ainda no tempo que os cravos das cordas ainda eram de madeira; e porque não dizer também o gosto pela psicanálise (rsrsrs)

Você falou em acordeon, puxa foi o segundo instrumento que me arvorei a tocar de ouvido, inclusive nas igrejas e nas baladas noturnas.Mas a minha predileção é pelo cavaquinho.

Aqui em casa, meu caro Edson, nos finais de semana quer queira ou não queira, é barulho de intrumentos musicais o dia inteiro até a madrugada.

Tenho um filho que tem uma bateria, outro tem um órgão eletrônico, outro um violão e um baixo, e eu, faço as minhas escaramuças com o cavaquinho e o piano meio desafinado. (rsrs)

Imagine juntar a cambada daqui com a daí, iríamos formar uma senhora banda, hein?

Tenho muita admiração por você meu caro Noreda. As afinidades são várias.
Freud explica (rsrsrs)


Um grande abraço,

Levi B. Santos

Levi Bronzeado disse...

Caro Leo, amigo de trincheiras contra as marionetes (rsrs)

A sua presença aqui muito me envaidece.

Teu estilo de escrever com ousadia e coragem, teu inconformismo contra os desmandos invagélicos dos mercadores da fé, constituíram-se nos fatores primordiais para o estabelecimento de nossa profícua amizade.

Estou convicto de que o sentimento de companheirismo que cultivamos durante anos, continuará enquanto aqui vivermos, ainda mais, sabendo de antemão, que as nossas afinidades são muito maiores que as nossas diferenças.

Um forte abraço, do "herege"

Levi B.Santos

Levi Bronzeado disse...

EDUARDO

Mestre dos Mitos e exímio estudioso da tradição judaica-cristã, além de pensador-mor da confraria dos fora da gaiola.

Exageraste, meu caro amigo, nas palavras de elogio. Seria incoerente comigo mesmo, se não reconhecesse que estou aprendendo muito com você e os demais amigos da Confraria.

Os teus comentários, assim como os de J. Lima, serão sempre guardados, e com certeza, ficarão como subsídios para consultas em ensaios futuros, que porventura venha fazer.

Muito obrigado, meu caro e famoso debatedor, pelas palavras de incentivo.

Receba um forte abraço, de um velho que admira a sua pujança, firmeza e maestria com que desenvolve os temas aqui na confraria.

Levi B. Santos

Marcio Alves disse...

LEVI

Muito me emocionei, ao ler sua postagem e a respectiva primeira poesia que publicasse no seu blog, mas principalmente, emocionei-me contigo tocando seu “velho” e bom piano.

Um dia ainda terei o enorme prazer de apertar suas mãos, olhar nos seus olhos, e pode lhe dar um abraço como um filho que abraça o pai.

Não me basta mais, falar apenas contigo por telefone...assim como pude receber o EDRAS de braços abertos aqui em casa, e ainda por cima um beijo dele, passar horas e horas conversando até não agüentar mais, desejo um dia conhecer você, DUZINHO, ISA e todos outros.

Só tenho apenas uma lamentação a fazer em relação a você......que pena que não lhe conheci antes, meu mestre e amigo!!!!

Gresder Sil disse...

Quatro anos em comparação a maioria dos outros blogs é muito tempo, sinal de paciência, plantastes tuas sementes da palavra e recebestes ouvidos como frutos.

O que te espera nos próximos quatro? quais reflexões? quais delírios? quê indagações pertinentes? tu sabes? creio que não muito! borá ver! estamos todos juntos agora...

Levi Bronzeado disse...

MARCIO

O mundo dá muitas voltas. Quem sabe, um dia estaremos juntos nos digladiando cara a cara? (rsrs)

Sou muito grato, pelo seu comentário que me transmitiu muita emoção.

Abraços



GRESDER

O nosso "BARCO", até agora, vai navegando de vento em polpa.

Não sei como ele se comportará frente as borrascas futuras de um mar encapelado. (rsrs)

NAVEGAR É PRECISO.

Isa Medeiros disse...

Venerável Levi! Meus parabéns pela sua longa caminhada na blogosfera. Sim, longa, pois a maioria dos blogs não sobrevive mais de 3 meses, e o seu já completa 4 longos anos!

Não posso dizer, assim como o Marcio, que gostaria de haver lhe conhecido antes. Na verdade, preferia tê-lo conhecido depois, quando já não empunhava mais o punhal, a lança e o escudo do fundamentalismo.

Um forte abraço, e parabéns também pelos dotes musicais.