03 outubro 2010

Nossas Origens - Segundo Melanie Klein


http://www.youtube.com/watch?v=cKvn44S1t5E

Esta é a primeira de uma série de vídeos de psicanálise que tenciono trazer a cada mês. O objetivo primordial é o de proporcionar uma revisita ao passado dos nossos sentimentos primitivos.


P.S.:

Fomos destronados para viver a ambivalência dos nossos desejos, para viver a angústia do EXISTIR. Agora, o VAZIO instaurado pela separação do “Trono Real”, é traduzido pela angústia de não poder voltar às entranhas de nossa bondosa mãe. Como disse LACAN: o REAL passou a ser o nosso GOZO nos níveis IMAGINÁRIO e SIMBÓLICO. Eis aí, o nosso único alento: vivenciar as pulsões de vida e de morte no âmbito de nossa subjetividade.

Contudo, sabemos que o eterno desejo de reencontrar o lugar primevo de doçuras sem amarguras é o motor que, todos os dias, nos impulsiona a expulsar "Anjos Caidos" do nosso paradoxal "Céu existencial".

A TERRA QUE MANA LEITE E MEL” — da tradição Judaica, hoje, para nós, é apenas uma metáfora representativa do desejo de voltar às tetas maternas que alimentaram os nossos primeiros instintos. Das coisas que os antigos viam com os olhos externos, a psicanálise, graças às lentes poderosas de Judeus hereges, conseguiu vislumbrar um Reino que não estava lá fora, confirmando o que um certo Homem, há dois mil anos, disse: “O REINO DE DEUS ESTÁ DENTRO DE VÓS”.


Guarabira, 03 de outubro de 2010

3 comentários:

Marcio Alves disse...

LEVI

Muito boa sua idéia de postar vídeos sobre a psicanálise.

Agora em seu comentário do vídeo você abordou algumas coisas interessantíssimas da psicanálise....uma delas, a qual vou me deter, é sobre os impulsos de vida e morte que constituem nosso ser.

Penso eu que os impulsos de vida sempre serão maiores do que os impulsos de morte....estou certo ou errado?
Até porque, se fossem os de morte maiores do que os de vida, acho que nós todos já não estaríamos por aqui.

Abraços

Levi Bronzeado disse...

MARCIO


O peito da mãe é objeto de Prazer e Repúdio ao mesmo tempo, pois o bebê tem prazer em sugá-lo, como também tem o impulso de destruí-lo, quando agressivamente o morde.

Dessa forma, a pulsão de morte e de vida,(ou Tanatos e Eros, ou Desprazer e Prazer, ou de Construção e Destruição) foi percebida por um ser que se sentia como se fosse a própria extensão da mãe.

O Gênesis bíblico, de forma metafórica, traduz essa fase, ao deixar explícito que o Jardim do Éden era uma extensão do próprio Céu.

AS PULSÕES DE MORTE E DE VIDA SÃO REPRESENTADAS, HOJE, PELA NOSSA AMBIVALÊNCIA.

Foi se referindo a essa "ambivalência dos instintos", que Saulo de Tarso assim se expressou para os Romanos:

"Quem me livrará do corpo dessa morte!"

Reflita sobre isso.

Eduardo Medeiros disse...

Levi, boa iniciativa!! Só conhecia a Melaine de "ouvir falar" mas não conhecia o seu trabalho. Só o vídeo em espanhol que eu tive um pouco de dificuldade, pois só consigo ler e entender o espanhol se ler devagar e o vídeo é muito rápido. Enfim, a culpa é minha que nunca gostei de estudar língua estrangeira rsssssss

OLha, voltando um pouco ao seu texto anterior: tuas respostas aos nossos comentários estão melhores do que o post em si...rssssssssss

Guardei-os todos para meditar melhor neles.