29 março 2011

A Suprema Estratégia




Se o mundo está repleto de inimigos

Três estratégias, três caminhos eu tenho:

Combatê-los, fugir, ou amá-los”.

Caim matou Abel

Mas ficou-lhe da alma do irmão, a marca

Jacó fugiu de Esaú

Mas errante vagou com seu fantasma.


Desejo — esse adesivo fluido e flexível.

Revela-me a excelente e suprema estratégia:

“De na estranheza do outro, me ver”.

Parar de odiar o estrangeiro?!

“Só se o meu desejo for também o dele...”

Se o amar for isso reconhecer

No “alto céu” de minha mente surgirá

Ao invés de um confronto uma síntese.


Por Levi B. Santos

Guarabira, 29 de Março de 2011

Imagem: http://iecpriopreto.blogspot.com/2008_12_01_archive.htm

3 comentários:

Mariani Lima disse...

Uma estratégia de amor funciona bem com desafetos. Essa gente que o "espírito não bate". Acho q vale o esforço de não confrontar e até uma auto análise pra saber o que de fato incomoda tanto. Mas quando já é inimigo, a coisa é mais séria. Acho q só cabe a estratégia da humildade, dar o primeiro passo.
Um abraço!
Gostei muito do texto!.

Levi Bronzeado disse...

Mariani

“Uma estratégia de amor funciona bem com desafetos”

Partindo do princípio de que EU e o OUTRO somos portadores de desejos recíprocos, fica mais fácil entender que a convivência entre os diferentes é que pode nos trazer a oportunidade de estabelecer a simpatia.

Os afetos e os desafetos são os dois lados da parede que serve de sustentáculo às nossas interações.


Abçs,

Eder Barbosa de Melo disse...

Levi,

Amei o "poema", peço-lhe autorização para reproduzir em meu blog, pois tem certa relação com uma de minhas últimas postagens sobre o perdão. Obrigado.

Ah e desculpa a ausencia, agora com 2 empregos a coisa tá braba por aqui. Até breve.