19 dezembro 2011

Uma Canção Nostálgica



Sabemos que é através das primeiras músicas percebidas, que as crianças entram em contato com seus sentimentos e valores interiores: amizade, amor, perda, medo e saudade. As modinhas infantis guardadas na memória do adulto ainda têm a função de apaziguar as forças conflitantes de sua alma paradoxal. São elas que amansam a criança chorona que guardamos no peito.

Era um menino bem pequeno. Na semana que antecedia o Natal, lembro-me bem, os católicos, que eram quase todos da minha rua, ficavam circunspectos, ante o canto dolente da Ave Maria, de Gounod. Essa bela sinfonia era difundida pelos auto-falantes das ruas de minha pequena cidade, sempre às dezoito horas, quando o sol poente por sobre as serras espargia seus mortiços raios, anunciando o fim do dia.

Era justamente nessa época do ano que essa indescritível melodia reverberava com mais intensidade em minha alma, pois me fazia evocar a história bíblica de uma pobre Maria em dores de parto, ao lado de seu esposo. Maria, a marginalizada, que por fim, teve de se abrigar em uma cocheira junto a animais, num longínquo mês de dezembro, para dar à luz ao menino Jesus.

Mas havia uma canção que, na época do Natal, me tocava mais profundamente, e, que os antigos rádios de válvulas difundiam, também, ao chegar da noite. Tratava-se da canção Canta Maria, que Ari Barroso compôs em 1940. Se eu não me engano, esta foi uma das primeiras músicas a infundir melancolia e nostalgia no verdor dos meus anos.

A musicista e cronista Fernanda Takai, em seu recente show, deu uma roupagem mais intimista a essa nostálgica e serena modinha, que achei maravilhosa. Creio que os de minha época, não deixarão de ser tocado pelo penetrante tom melódico e suave que dela irradia. A dolente canção Canta Maria, parece evocar as cantigas de ninar do meu tempo. 
Ouçamos:






Site da imagem: aquimera.com

Por Levi B. Santos
Guarabira, 19 de dezembro de 2011

4 comentários:

Guiomar Barba disse...

Levi, que a Maria continue cantando para você, com toda esta doçura, durante a brevidade da vida e que o perfume dos alecrins perfume seu coração.

Feliz natal para você e os seus.

Beijão amigo precioso.

Eduardo Medeiros disse...

Essa eu não conhecia, Levi. Muito bonita! Mas também tenho as minhas "canções nostálgicas".

FELIZ NATAL!!!! ABRAÇOS EM TODOS

Levi Bronzeado disse...

Feliz Natal também para vocês (Guiomar/família, Edu/família), assim como para todos que fazem a Confraria dos Hereges da Javé.

Apareçam lá na C.P.F.G. - tem uma retrospectiva 2011, que vai interessar a todos.(rsrs)

Abraços,

Donizete disse...

Levi,

Também desejo um feliz Natal para ti e toda sua família.

Uma grande abraço amigo!