04 março 2014

Prenúncio de Tempestade Após Copa e Eleições




As nuvens densas e escuras que aparecem no horizonte dão indícios de que, depois da Copa e das eleições, uma tempestade cairá aqui em nossa Colônia.

Pequenas e boas notícias, por enquanto, nos animam, como esta: A maior instituição financeira da Alemanha ― o Deutsche Bank ― fez um acordo com o Ministério Público para devolver 10% dos 200 milhões de dólares que Paulo Maluf desviou da prefeitura de São Paulo em meados de 1990.(reportagem do correspondente internacional da Veja ― André Petry). A dinheirama que vai ser devolvida é apenas o dízimo do que Paulo Maluf embolsou. Mas a nossa Justiça, pasmem, diz que o ex-prefeito que está livre, leve e solto, não desviou um tostão do erário.

A “verdade otimista” brandida por algum tempo pelo partido majoritário, de que somos auto-suficientes em petróleo, evaporou-se: “A Petrobrás perdeu 43% do seu valor de mercado em três anos e passou da segunda para a quarta colocação no ranking das maiores empresas de gás dos EUA e da América Latina” ― noticiou o Jornal Estadão. Ou seja, a empresa que simbolizava a solidez do nosso país, está quase falida.

Tudo indica que o badalado “Pré-Sal” será mais um conto de Fada, uma farsa ou um canal de desvio de dinheiro para gente que está jogando aqui e fora do país ao mesmo tempo.

A conta, como sempre acontece, vai sobrar para o contribuinte. Há pouco mais de seis meses foi perdoada a dívida de 12 países africanos mantidos por ditadores. Ditadores como, Nguesso, do Congo, que possui 66 imóveis em áreas vizinhas a Torre Eiffel em Paris, estão recebendo ajuda do governo brasileiro. (vide LINK). O governo diz que é pouca coisa: são apenas 8 reais que cada brasileiro vai doar aos nossos irmãos de sangue na África.

Mas o governo brasileiro anda muito seguro, quando diz que não está só. Acercou-se da Argentina, Venezuela, Bolívia e Cuba, financiando (ops! – presenteando) e defendendo as suas ditaduras com unhas e dentes para manter de pé o sonho de seus ídolos ― Che Guevara e Fidel Castro.

Para escurecer mais ou tornar mais sombrias as nuvens ameaçadoras, some-se a tudo isso o dinheiro que está escorrendo pelo ralo, através de desvios fraudulentos sob a pecha de que está sendo usado em reforma de estádios para a Copa.

Pasmem: os mensaleiros condenados e presos por apropriação indevida das finanças do país para fins escusos estão mais ricos do que quando estavam em liberdade. A prisão encenada os tornou mais milionários: a vaquinha de R$ 2.800.000,00, “obtida” em poucos dias para pagar as multas que eles tinham na justiça, mais tarde, pesará em nossos bolsos. Por ora, tudo é festa, tudo é carnaval.

O Brasil da desigualdade social, da corrupção, do péssimo nível educacional, da violência urbana crescente, da farra com o dinheiro público é detentor dos 20 estádios de futebol mais caros do planeta; e isso tem um nome: SUPERFATURAMENTO para enriquecimento dos que deveriam gerir a coisa pública com total isenção. (Leia mais aqui).

“A matemática revela que o maior beneficiário da Copa de 2014 será mesmo a FIFA, e não o cidadão brasileiro, que paga a conta bilionária. Prevê-se que o lucro da entidade (com bônus para os parceiros do Rei – grifo meu) será de 4 bilhões, o dobro do que arrecadou a Alemanha e o triplo do que arrecadou a África do Sul. O resto é lorota para enganar ingênuos e fazer boi dormir” ― concluiu, um Editorial publicado no Estadão em junho de 2013.

A gastança do governo não pára de crescer. De acordo com o Portal Transparência, “só em cartões corporativos foram gastos mais de R$61 milhões em 2013. Sem falar nos 80 milhões torrados pelo o ex-presidente Lula, em 2010” (vide Link). “Segundo os dados do Tesouro Nacional o total das despesas do governo em 2013 bateu recorde, chegando aos impressionantes R$914 bilhões” (Fonte: Folha de São Paulo)

Com a vitória praticamente certa, Dilma já falou que depois da Copa e das eleições irá por em prática um plano de reestruturação no país. Trocando em miúdos, isso significa dizer: preparem os bolsos ou os guarda-chuvas que lá vem tempestade!


Por Levi B. Santos
Guarabira, 04 de março de 2014  


Site da Imagem: gamalivre.com.br

3 comentários:

RODRIGO PHANARDZIS ANCORA DA LUZ disse...

Caro Levi,

Alguém tem dúvidas de que, em 2015, não haverá no nosso Congresso a CPI da Copa?!

Quanto à grana que o Brasil tem enviado ao exterior, será que esse dinheiro não acaba sendo desviado para o caixa dois de algum político? Digo isso porque, em determinados países que vivem debaixo de regimes ditatoriais, seria muito mais fácil para o governante de lá ficar com uma parte e dar o troco sem ser investigado pelas instituições que, em tese, são responsáveis pela fiscalização dos atos oficiais. Por exemplo, o nosso MPF de hoje ainda funciona melhor do que o Parquet de determinados países da África e da América Latina...

Agora o mais preocupante mesmo seria o bem estar da nossa economia e a Petrobrás, sendo que não vejo também com bons olhos um país depender tanto da exportação dos seus recursos naturais, algo que acaba influenciando na sobrevalorização cambial e atrapalhando o desenvolvimento da indústria prejudicando a nossa competitividade.

A meu ver, escândalos de corrupção não prejudicariam o poder do PT. Já os problemas na economia com reflexos sobre o controle da in fação e, principalmente, no emprego e na renda do brasileiro, aí sim pode ter efeito sobre as urnas. Algo que as notícias de jornais, por si só, não alteram. Pois, infelizmente, o eleitor se acomoda numa situação e só resolve mudar quando se torna verdadeiramente insatisfeito e encontra num outro candidato a expressão da mudança. Seriam os exemplos das vitórias de Collor (1989) e de Lula (2002) visto que FHC (1994) e Dilma (2010) teriam sido resultado do continuísmo.

Finalmente há que se considerar que, caso a bomba da economia venha a estourar num segundo mandato da Dilma (ou esta aplique uma política recessiva de corte de gastos), o PT teria um plano B que é usar o carisma e o prestígio do Lula para vencer em 2018. Neste caso, um "racha" no partido já estaria sendo ensaiado.

Abraços.

Levi Bronzeado disse...

Pareca que a bomba vai estourar antes da Copa.


A coisa tá realmente preta. Olha só isso, Rodrigo:

“Com novo deficit bilionário em fevereiro, o rombo na balança comercial, que mede a diferença entre as importações e as exportações do país, chegou a US$ 6,2 bilhões no bimestre. Em termos nominais (sem descontar a inflação), foi maior valor da série, que começou em 1993”

Vide link:

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/mercado/155271-comercio-do-pais-acumula-rombo-bilionario.shtml

RODRIGO PHANARDZIS ANCORA DA LUZ disse...

Ainda não, Levi. E esse déficit pode ser explicado pela nossa sobrevalorização cambial dentre outras variáveis. Contudo a cifra não chega a desestabilizar a nossa economia que é de dois dígitos a mais em dólar.