06 outubro 2009

A ORAÇÃO QUE FEZ MUDAR O VELHO PASTOR




Havia apenas vagos rumores lá fora, quando o pastor entrou no seu quarto, após o culto. Olhou-se demoradamente no espelho. Viu que a sua indumentária de ministro não mais lhe causava impressão prazerosa. Olhou mais uma vez para o espelho e chocou-se ao notar as inúmeras rugas que o tempo imprimira em seu rosto, antes jovem, e agora débil, sem brilho e encarquilhado. A velhice chegara com todas as suas marcas indeléveis. Quis então esboçar um sorriso, mas nada conseguiu.


Absorto, mergulhou agora no escuro e pequeno mundo de sua meninice. A frase dita e predita por sua mãe reverberava com força nas cordas de seu coração: “Um dia Deus vai lhe usar para mudar o mundo!”. Na verdade, o que a sua velha mãe, hoje falecida, se referia, era o mundo do seu pequeno vilarejo, do qual nunca saíra em toda a sua vida. Ele parecia, agora, estar vendo a alegria estampada na face de sua genitora, quando dizia para suas amigas: “Esse menino vai longe!”.


Aos vinte e quatro anos foi consagrado pastor, e por dez anos a tônica de suas orações era essa: “Meu Deus, ajuda-me a mudar esse mundo tão mau e corrupto!”


A roda do tempo girou, girou por mais dez anos, e o mundo apesar das reformas e revoluções, permanecia perverso, não dando sinal de mudança. E o que deixava o pastor mais transtornado, era o fato de ver que a sua própria família não queria assimilar o bem que ele tanto apregoava. Foi por esse tempo que a sua fé começou a fraquejar, à medida que a sua impaciência crescia.


Uma noite se surpreendeu orando assim: “Meu Deus ajuda-me a mudar a minha esposa e os meus filhos!” Ele pedia a Deus como se fosse a última cartada, como se dissesse: “Senhor, muda pelo menos a minha família, já que o mundo continua o mesmo!”.


Já beirando os setenta anos de idade, encontrava-se o velho pastor em seu leito, olhando pela janela aberta, o céu límpido e estrelado. Ele via que cada estrela tinha o seu brilho peculiar, e que não conseguia ver uma estrela igual a outra em luminosidade. Nessa noite ele ouvia, vindo de longe, uma música suave, tirada das teclas de um dolente piano. Quando o mais duro fardo do seu íntimo parecia querer romper em prantos, eis que surgiu dentro de si uma centelha de esperança. Foi aí então, que dos recessos de sua alma brotou tremulante como as estrelas do céu, essa oração: “Meu Deus ajuda-me a mudar-me!”.


Após essa oração, o velho pastor, conseguiu enfim sorrir. Mesmo sentindo apertar o círculo conclusivo da vida, ele estava ali, desta feita, absolutamente tranqüilo. Após essa oração dizia de si para si: “chega de querer mudar o mundo, meu Deus. Mesmo que as dores venham me assaltar, mesmo que não haja músicas para me consolar, e ao contrário dessa belíssima noite, vierem negras nuvens, eu não cessarei de rezar essa prece por toda a minha vida”.


Durante muitos anos o pastor tinha lutado como um gigante para mudar o mundo, mas finalmente, mesmo velho e desfigurado, mesmo sem ninguém por perto para elogiá-lo e cobri-lo de louros, tivera o privilégio de alcançar a graça para ver mundo com outros olhos. Fora enfim curado de uma miopia espiritual, que à distância, o fazia enxergar as pessoas tão feias e deformadas.


“A lâmpada do corpo são os olhos. Se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo será luz” (Mateus 6: 22)



Ensaio por Levi B. Santos

Guarabira, 06 de outubro de 2009


10 comentários:

Gresder Sil disse...

Levi Levi! Esse final! Esse versículo! Há mais maldade nos nossos olhos do que nas pessoas “perdidas”. Perdidas entre aspas, por que, é nos que a damos por perdidas. Naquele dia virão do ocidente e do oriente, pessoas que se fosse por nosso critério jamais entrariam no Reino do Pai, mas que serão salvos, enquanto os aferidores da justiça e da lei, ficarão de fora.

Gresder Sil disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Levi Bronzeado disse...

Prezado Gresder Sil



Foi muito boa essa sua inserção.

Olhando bem, a história, como uma moeda, tem os dois lados. O outro lado estaria representado pelo versículo que vem logo abaixo do que eu citei no ensaio.
No caso esse:

"Se os teus olhos forem maus, todo o teu corpo será cheio de trevas". (Mateus 6: 23)

Jailson Freire disse...

Prezado Levi,

É interessante que, à medida que o tempo vai passando, a triste realidade na qual nos deparamos é que uma pergunta cruel começa a gritar dentro da nossa alma: "Será que valeu à pena existir sem que tenhamos mudado o mundo?". O espelho que não nos engana nunca nos fala claramente a respeito de que mundo precisamos mudar para que ao final de tudo, possamos chegar com a sensação de que pelo menos nós conseguimos mudar do caminho de morte para o caminho da vida eterna.

Levi Bronzeado disse...

Maravilhosa a sua inserção, meu caro Jailson.

Às vezes, somos levados a pensar que podemos mudar o mundo através do maniqueísmo, tipo: Se fizeres assim irás ser premiado com um céu de delicias sem fim. Se não o fizeres, serás penalizado com o castigo eterno.
Ameaças para uns e bênçãos para outros.

Quão bom é saber que o mal de cada dia vai depurando a nossa alma, paulatinamente. Quão bom é saber que a cada dia nos convertemos mais. Quão bom é saber que o “eu” de hoje nunca será o de amanhã.

Se pensarmos bem, concluiremos que a oração do velho Pastor (já mais amadurecido), deve ser também a nossa prece diária: “Ajuda-me Senhor a mudar-me”.

É através da minha “mudança” de cada dia, meu Deus, que eu vou Te conhecendo mais, para entender o meu próximo ─ aquele mesmo, que o Teu Filho um dia disse: “quem ajudar a um desses pequeninos a Mim o faz”.


Um abraço fraternal do velho amigo
Levi B. Santos

Marcelo Batista Dias disse...

Meu querido Levi,

Mais um texto excelente.
Não é raro encontrar naqueles que lideram uma profunda preocupação com os outros.

Como seminarista eu sei que uma das minhas maiores preocupações é a vida com Deus das "minhas ovelhas".

Contudo percebo dia-a-dia, que não posso "dar-lhes" uma vida se eu não tenho uma.

Por isso seu texto me é muito pertinente. É muito facil preocupar-se com os outros e esquecer-se de si mesmo diante de Deus.

Um grande abraço.
Marcelo.

Ricardo Afonso disse...

muito legal seu texto, bem acertivo...gostaria de publicá-lo no meu blog, www.surfphotographer.blogspot.com
seja meu seguidor tbm,
Deus abençoe!

Pastora Guiomar disse...

...Porque tudo que há dentro de mim necessita ser mudado Senhor,
porque tudo que há dentro do meu coração, necessita mais de Ti...

Amo cantar com toda a minha alma estes versos, raramente as lágrimas não me rolam pela face por ter ainda tanto a ser mudado.

Vc como sempre, é o cara. kkkk Abraço.

Levi Bronzeado disse...

Prezado Marcelo Batista


É isso mesmo meu caro irmão, às vezes nos preocupamos tanto com os outros, que esquecemos de nós mesmos. Esquecemos de que cada um vai prestar conta de "si mesmo" a Deus.

Agradeço a sua passagem, e apareça sempre.

Um fraternal abraço,

Levi B. Santos





Prezado Ricardo Afonso


Sou grato por sua passagem nesse recanto do google.

Ficarei seguindo o seu blog.


Saudações fraternas,

Levi B. Santos





Prezada Pastora Guiomar


Viver é estar sempre em constante mudança.

“Atrelados a um passado vivemos hoje em função de um amanhã. O hoje é então 'passagem'".

Seus comentários são sempre bem-vindos.

Saudações no Senhor,

Levi B. Santos

Tony Ayres disse...

Caro amigo Levi:

A maior batalha do ser humano ocorre dentro de si mesmo. Infelizmente, a sua história do velho pastor reflete, mais do que gostaríamos, a realidade; ou seja, o homem, geralmente só percebe a sua miopia, muito tarde, no relógio da existência.

Que a sua postagem sirva para que "jovens pastores" percebam a maior qualidade que eles podem ter para mudar o mundo, é olhar sempre para ele, com os olhos de Jesus.

Shalom