04 novembro 2009

2010 - ANO EM QUE PÚLPITO VAI VIRAR PALANQUE


Uma notícia veiculada na seção “Radar” da revista VEJA dessa semana, despertou a minha atenção para uma trágica realidade: a de que se aproxima o “toma-lá-dá-cá” da selvagem politicagem nacional, no alvoroçado rebanho “evangeliquês” do nosso idolatrado (ou idólatra) país.

Com o subtítulo “Evangélicos Divididos”, o editor dessa seção, Lauro Jardim, fez a seguinte declaração:

As principais denominações evangélicas que hoje representam 15% da população, já estão discutindo 2010 ─ e, como não poderia deixar de acontecer, a divisão já está adiantada. A Renascer em Cristo, aquela cujos chefes Estevam e Sônia Hernandes foram presos nos EUA com dólares escondidos até na Bíblia, está praticamente fechada com José Serra. A Igreja Universal, acusada de remessa ilegal de dinheiro para o exterior vai de Dilma Rousseff no ano que vem”.

Interessante é que a matéria de Lauro Jardim não tocou no maior filão de votos, que é a corrente forte dos pentecostalistas. Tenho a ligeira impressão de que a maioria que forma essa seita cristã-sincrética de “guerreiros de fogo” está esperando o poder do “alto”, que deve vir em forma de profecias (já que profeta é o que não falta em suas hostes). Ou pode está aguardando um anjo de “luz”, para iluminar as suas mentes e os seus cofres, com a palavra final, sobre quem eles irão apoiar.

Não resta dúvida, de que uma grande batalha se instalará nos “armagedons” dos altares pentecostais, pois os representantes do deus Mamon, na figura dos candidatos, irão subir nos púlpitos (ops), nos palanques eclesiásticos, para tramar uma coalizão idêntica àquela que Lula disse que Judas faria naturalmente com Jesus, para governar a adormecida pátria que está “deitada eternamente em berço esplêndido, ao mar e a luz do céu profundo...” ─ como diz o pérfido e de mau gosto hino nacional (que tem mais língua estranha que às Ass. de Deus).

O deus Mamon (àquele do dinheiro ilícito) é muito astuto. Pode muito bem usar o púlpito ( antigo local sagrado) para falar em línguas estranhas, dar glórias a Deus e fazer fogo do céu cair e outras mil estripulias "inspirituais" para deleite da platéia histérica e ávida de espetáculos miraculosos, que fica de traseiro dormente sobre bancos duros. Não sabem os pobres coitados pentecostais, que a maior negociação entre os representantes do Deus de “pentecostes” e o Deus Mamon, ocorrerá em secreto nos “bunkers”, tipo aqueles em que Hitler se reunia com os seus comandantes, para não ser visto pela “populaça”. É lá nos gabinetes das igrejas, que propostas espúrias entre Mamon e o deus pentecostal serão negociadas em troca dos votos das ovelhas e bodes de seus currais. Votos serão transformados em bens, mansões, chácaras, automóveis importados, empréstimos à juros zero, estadias em hotéis de cinco estrelas em simulacros de congressos inventados, todas as semanas, para deleite carnal, usando como isca o nome de Deus, com temas bíblicos, transformados em bordões comerciais.

Quem tiver juízo, leia o que Jesus disse, sobre tempos como esses, em que os lugares sagrados (púlpitos – ou altares) estão sendo preparados para ser profanados: “Portanto quando virdes que a abominação da desolação de que falou o profeta Daniel, está no lugar santo (quem lê entenda), então os que tiverem na Judeia (Brasil), fujam para os montes”.



Por Levi B.Santos
Guarabira, 04 de novembro de 2009

6 comentários:

Hermes C. Fernandes disse...

Meu caro profeta Levi,

Mais uma vez você acertou em cheio. A coisa realmente está preta. E agora que a Renascer conseguiu colocar mais uma vez cerca de um milhão de pessoas nas avenidas de SP, seu cacife político está cada vez mais valioso.
Tive a oportunidade de conversar com um político sério lá do Rio, que me confessou que queria distância dos líderes evangélicos, pois representavam o que há de pior em termos de ética.
Quando esta farra vai acabar?
O texto bíblico que vc cita no final nos adverte a procurar os montes. Mas para qual monte poderemos fugir de tudo isso? Não é debalde que haja tantos desigrejados em nossos dias, que preferem servir a Deus em casa, a terem que se promiscuir nesses templos de Mamom.
Parabéns pela sua lucidez.

Eduardo Medeiros disse...

E aí grande Levi, beleza pura?

Quem diria que a IURD que nas eleições presidenciais da década de 90 pintava o Lula como o servo do capiroto, que ia perseguir os evangélicos, hoje, de mãos dadas e de beijinhos com a Dilminha. Hoje o Lula deixou de ser o diabo barbudo e passou a ser o pai dos pobres e a IRURD acabou aprendendo muito bem como é que se faz política no Brasil.

Agora, mudando de assunto, como é que você diz que o hino nacional é de mau gosto? Logo você que é um mestre das palavras dizer isso da pujança poética do Joaquim Osório?

abraços calorosos

Gláucia Carneiro disse...

Levi, a situação já começou a ficar trágica, porque eles estão desesperados.

A internet vai ser o melhor veículo de campanha eleitoral, o menos oneroso.

Eles já começaram a pegar pesado com todos aqueles que são uma ameaça aos seus ardis eleitoreiros.

Estão atirando para tudo quanto é lado, estão em pânico, porque além de terem que tentar reeleger a corja deles que já estão no Congresso, ainda estão querendo colocar mais.

Faço a mesma pergunta que o Hermes, oara qual monte devemos fugir???

Levi Bronzeado disse...

Caro amigo e irmão Hermes


Essa prática vergonhosa de comícios nas igrejas sob a proteção de Gezuiz, de tanto se repetir, já virou ritual.
As profecias (para enganar os bestas) só surgem depois dos arrumadinhos traçados à sete chaves.

Os "montes" que devemos procurar, só são encontrados em sentido metafórico, que quer dizer:

"Ligar-se com o Alto", sem deixar de denunciar e repudiar com todas as forças, o séquito da imoralidade que, em época de campanha política, faz ninho de profanaçao nos lugares Santos.

Levi Bronzeado disse...

Prezado Eduardo

Não existe parceria mais diabolicamente arrasadora do que essa: Macedo e Lula.

Quanto ao Hino Nacional, na certa, o Osório Duque Estrada, elaborou o seu projeto de letra para agradar o "ego" imperialista da época. Extrapolou os limites da retórica poética, com um monte de palavras quem nem mesmo os generais e o Presidente sabem o significado delas.

"Lábaro" - é demais (rsrsrs)

P.S: A versão do Hino Nacional por Vanusa, por incrível que pareça, ficou mais engraçada que a oficial.

Levi B. Santos

Levi Bronzeado disse...

Prezada Gláucia Carneiro

A explicação sobre os "montes" para onde devemos fugir,quando essa cambada de negociadores de Mamon invadir os púlpitos, está lá no comentário que fiz, respondendo ao Hermes Fernandes. (rsrsrs)


Saudação fraternal,

Levi B.Santos