13 novembro 2010

NEGAR PARA NÃO SOFRER



Essa arte eu aprendi logo cedo

Aprendi desde os tempos das primeiras letras:

“Negar para não sofrer”.


Na volta da escola por meu pai sabatinado:

Brigou com alguém?! — Olhe isso no seu rosto!

— Escorreguei, bati com a cabeça na parede.

Mostre-me o boletim, quero ver suas notas?!

—A professora nesse bimestre não entregou.


Transformei-me em um artista

Na arte de evitar o padecimento pelas cobranças paternas.

Aprendi que a negação sempre adia o sofrimento.


Pra que mentir?!

Meus pais já se foram – sou um adulto

Agora não preciso mais negar o que sinto em oculto.

Eis que num belo dia não pude revelar um DESEJO.

A mesma sensação dos tempos de escola

Reapareceu. Voltou?!


Lá estava entranhada a velha opção

Lá estava o vigia

Que da sala de minha consciência tomava conta.

E para não incorrer no risco doloroso

De ver o meu desejo ser exposto pelo Rigoroso Guarda

Protegi-me com o manto da ansiedade.


Algo em mim me fez agir como o débil aluno de outrora

Fiquei tenso, de rosto avermelhado

Quando Ele perguntou-me:

“Ainda sonhas acordado?”

Neguei para não sofrer de novo...


Enquanto bradava um “Não” bem forte

Em secreto, lá dentro, eu inquiria:

“Por que não me abandonaste, ó Pai?!

Como gostaria de continuar Te negando

Para continuar LIVRE do sofrer!”


Por Levi B.Santos

Guarabira, 12 de novembro de 2010

20 comentários:

Levi Bronzeado disse...

Dedico este ensaio poético a todos nós que, em certos momentos, pensamos que estamos livres do “sentimento religioso”.

Para que negar esse sentimento, se o “Velho Artista” ou “Pai simbólico” quando bem quer, se apodera de nós, fazendo vibrar as cordas desse instrumento musical humano, denominado CORAÇÃO, retirando dele emoções mudas e secretas.

A música do abismo de nossa psique, que sentimos como um espírito que vem de muito além e alça vôo, deixa frutos em nós, bem depois que os sons de alvoroço da razão silencia.

Vivian disse...

Olá!!
Vim lá do blog do Eduardo. Gostei e vou seguir!!
Lindo ensaio poético!!
Te convido para conhecer o meu blog:
vivian-floreselivros.blogspot.com
Tenha um ótimo feriado!
Atenciosamente

Marcio Alves disse...

LEVI

“deus” está mais vivo do que nunca dentro de nós!


Não há como escapar, podemos até negar, mas mesmo na negação se parte da própria afirmação, portanto, negação só é negação quando nega uma afirmação.


Pois se dissermos que deus não existe, já estamos mais do que nunca, afirmando sua existência, pois se não, não poderíamos se quer dizer que ele não existe, pois se não existisse, porque diríamos ainda que ele não existe?


É porque mesmo matando deus de nós, ele continua vivo, e quando mais queremos matar ou negar ele, mas ele continuará a viver e ficar cada vez mais forte em nós.


O que “mata” “deus” em nós, não é a sua negação, pois quanto mais negarmos, mas ele será lembrando e vivenciando em nós, mas antes, a indiferença do ser que não pensa mais nele, mais isto é impossível, haja vista, nós vivermos em sociedade, e nossa sociedade ser totalmente mergulhada na religiosidade, portanto, “deus” é o grande pai onipresente que esta em todo lugar a nos perseguir, pois mesmo que nós viéssemos conseguir não pensar ou sentir ele em nós, vivemos constantemente sendo lembrados de sua “existência” pelo meio que respira deus!


E se deus só existir porque nós pensamos nele, então ele continuará a existir, pois quando pensamos em não pensar nele, já estamos automaticamente pensando nele!


Abraços

Levi Bronzeado disse...

MARCIO

Veja como o homem é paradoxal. Vive eternamente expondo a sua dúvida interna, quando afirma e nega, quando pergunta(para si)e ao mesmo tempo responde:

"Deus existe?
Não, Deus inexiste".

A mesma força que o anima a dizer CREIO, o anima a dizer NÃO CREIO.

Maravilhosa essa sua construção:

"Não há como escapar, podemos até negar, mas mesmo na negação se parte da própria afirmação, portanto, negação só é negação quando nega uma afirmação".

Levi Bronzeado disse...

Vivian


Sinto-me gratificado em tê-la como seguidora.

Espero que continue prestigiando esse simples recanto, dando seus palpites e fazendo sua críticas.

Passarei lá no seu blog.

Abçs,

Levi B. Santos

Descanso da Alma disse...

O sentimento de ser livre, coisa que negamos o tempo todo buscando a clausura, a rigidez da carceragem que colocamos em nossas próprias almas.

Com isso, Jesus ao invés de bater do lado de fora, bate do lado de dentro, para poder sair um pouco e brincar conosco no playground da vida.

Lindo ensaio, senti a intensidade desta negação.

Eduardo Medeiros disse...

Por que então, não nos rendemos de vez? até quando não perceberemos que negá-lo é afirmá-lo? Por que fugir? mesmo por que fugiríamos para onde? "só tu tens palavras de salvação".

E aí? o que será que será?

Levi Bronzeado disse...

Thiago Azevedo


A NEGAÇÃO de algo subjetivo é sempre um ato para evitar a DOR psíquica. Portanto, o ser humano quando afirma que é “senhor de si”, está negando algo de si inconscientemente.

Para evitar o SOFRIMENTO de se desnudar perante o outro seu interlocutor, ele NEGA a sua parte IRRACIONAL que vai de encontro ao seu ser científico e racional.


Abçs, e apareça sempre para
interagir com a gente.

Levi B. Santos

Levi Bronzeado disse...

EDUARDO


Parece que estamos “condenados” a conviver com o paradoxo da irracionalidade.

É que estamos tão envolvidos em nossas maneiras de descrever e entender as coisas racionalmente, que esquecemos de que lá no nosso abismo psíquico existe um oceano obscuro.

Cada vez que mergulharmos nele, encontramos monstros e deuses que nos atemorizam e desafiam a nossa razão.

“TEMEMOS, POR ISSO NEGAMOS”


Abçs, irracionais (rsss)

Guiomar Barba disse...

Esta alma não só descansa como sabe aproveitar bem a vida rsrs

"Com isso, Jesus ao invés de bater do lado de fora, bate do lado de dentro, para poder sair um pouco e brincar conosco no playground da vida."

Amei. Beijos.

Guiomar Barba disse...

Grande Levi,

Simplesmente: Fantásticoooooooooo!

Beijão.

Levi Bronzeado disse...

GUIOMAR


Achei também fantástica essa construção que você digitou entre aspas. Mas ela não é minha, e sim do Thiago Azevedo do blog "Descanso da Alma"

Abçs

Eder Barbosa de Melo disse...

A negação, só alivia o sofrimento de maneira hipotetica, ele existe e de uma maneira ou de outra, nos alcança e temos de encará-lo de frente.

Mais um texto de sua autoria que me deixa embasbacado, quando eu crescer quero ser assim, bem pelo menos tomei coragem pra comentar...

Eder Barbosa de Melo disse...

Olá Levi,

De antemão, mil perdões pela demora em retornar o contato. Sinto-me lisonjeado por ter topado participar do “Amigos Blogueiros”. Funciona assim, envio a pergunta via email, o participante responde e após a publicação, os demais leitores acrescentavam comentários e outras perguntas, mas por sugestões de nossos leitores, sua participação será diferente, totalmente interativa, as perguntas serão feitas pelos leitores. Atrasei um pouco porque quero que o máximo de pessoas participem e também porque já havia algumas pessoas “na fila” (rsrsrs). Qualquer dúvida entre em contato.

Mais uma vez, muito obrigado.


http://recortecotidiano.blogspot.com/2010/11/amigos-blogueiros-interativo.html

Eder Barbosa de Melo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
amilson48 disse...

Muita convicta suas palavras Dr.Levi, não importando o assunto, sempre sereno nas suas interpretaçoes.

amilson48 disse...

Quando tiver um tempinho, visite o riscorabisco.blogspot.com
Silvanna Ligia(filha de Sr.Ademário e minha esposa.)

Eder Barbosa de Melo disse...

Caro Levi,

Respondi seu email, embora tenha estranhando o nome. Perdão por qualquer equivoco. Espero ter esclarecido tudo, qualquer coisa, estou às ordens. Abraço!

amilson48 disse...

Levi Bronzeado, médico e Alagoagrandense de nascimento e coração, gostaria que no alto da sua sabedoria e clareza na forma de enxergar a vida, como de alguma forma poderia contribuir e ao mesmo tempo se engajar em alguma luta, para minimizarmos essa questão de água em nossa cidade.

Levi Bronzeado disse...

Caro Amilson

O problema do racionamento da água de A. Grande prejudicou-me, hoje mesmo.

Fui aí apanhar os picolés, encontrei os freezer vazios (kkkk)

Se puder fazer os picolés com água mineral, eu pago a diferença. (rsss)

P.S.: Olha, digitei duas vezes o link www.riscorabisco.blogspot.com, e só aparece um blog do Rio de Janeiro de um tal de Paulo Henrique.