04 junho 2011

Desce Depressa Palocci (ops, Zaqueu)!!!




A imprensa não quer deixar de lado o imbróglio recente na casa civil da presidência da república, cujo personagem central (Palocci), vem relutando em explicar como multiplicou por vinte os seus bens em apenas quatro anos, num ambiente econômico estável e sem inflação. Dizem que é "ensurdecedor" o silêncio do ministro da casa civil, que deve explicação sobre o seu rápido enriquecimento. O certo é que, em menos de 20 dias, o superministro virou um espectro, do qual ninguém quer de fato aproximar-se.

Mas eis que estamos no país dos paradoxos. Para que maior paradoxo do que este?: Tempos atrás, num impulso delinquente, a máquina do estado se mobilizou para violar o sigilo do mais fraco – o caseiro do ministro-mor. Agora, numa atitude contraditória, a cúpula dos fariseus políticos não quer que venham à tona os negócios nebulosos do ministro com os poderosos, ou mais fortes.

Como cidadão brasileiro, e almejando um país mais democrático e menos injusto, desejo que a presidente seja bem sucedida em seus empreendimentos, e prime pela clareza no gerir da coisa pública. Desejo, enfim, que ela ponha o compromisso com a justiça e a transparência em suas ações acima da amizade interesseira.

Diante do enfraquecimento provocado pela crise “Palocci”, e, amparado pela bancada evangélica que tanto pressionou o governo nas últimas semanas pelo veto ao “kit-gay”, bem que Dilma poderia recorrer a uma passagem emblemática narrada nos evangelhos, que fala de Zaqueu – o publicano.

Zaqueu, era o chefe dos coletores de impostos. Segundo os historiadores, era quem comandava a extorsão no meio público no início da Era Cristã, lá na Palestina. De acordo com os teólogos, ele era um homem rico, mas sabia que sua riqueza não vinha das mãos de Deus.

Quem sabe se Dilma não poderia sair incólume dessa crise, caso procedesse como o mestre dos mestres que, num momento em tudo parecido com o atual, ao avistar o rico e solitário cobrador de impostos em cima de uma árvore, disse prontamente: Zaqueu, desce depressa, pois me convém ficar hoje em tua casa!”.

Esse rico homem público de que fala o evangelista Lucas, por não suportar mais o peso na consciência, procura e encontra em Cristo, um amigo verdadeiro em que pode realmente confiar, tanto é que diante do Mestre foi logo dizendo: “Senhor, resolvo dar aos pobres a metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, restituo quatro vezes mais”. (Lucas 19 : 8)

Quem sabe, após muita conversa no riquíssimo apartamento Palocciano (de seis milhões de dólares), Dilma pudesse arrancar de seu querido ministro a confissão tão sonhada e encerrasse de uma vez por todas a crise governamental? Teria a ocasião de ouro de falar em alto e bom som, tal como Cristo disse diante de Zaqueu: “Hoje entrou salvação nessa ‘casa’!”.


P.S.: Um artigo recente no Blog de Reinaldo Azevedo diz: "...a situação do ministro da Fazenda, Antônio Palocci, que já parecia enrolada, se complicou bastante a partir de hoje. Uma reportagem de Leonardo Coutinho na VEJA desta semana mostra que o mega-apartamento que o ministro aluga há quatro anos, em São Paulo, de 640 metros quadrados, pertence a uma empresa de fachada que está em nome de um laranja de 23 anos, que mora em um casebre de fundos na periferia de Mauá, no ABC paulista, ganha R$ 700 por mês e teve o celular bloqueado por falta de pagamento".


Por Levi B. Santos

Guarabira, 04 de maio de 2011

9 comentários:

Eduardo Medeiros disse...

pois é levi, o ministro tentou se explicar mas não convenceu ninguém. o erro foi da dilma ter ressuscitado o palocci que já havia sido sacado do governo lula por causa da quebra de sigilo bancário do francenildo.

é uma pena, pois o palocci poderia ser uma figura importante na política brasileira pois apesar de tudo, foi um bom ministro da fazenda.

palocci precisa de redenção, igual a zaqueu. tem que descer da árvore e confessar seus pecados para o povo brasileiro.

Levi Bronzeado disse...

Edu


Dizem que a Dilma não queria nem a sombra de Palocci perto dela. Foi tudo imposição do gran-imperador Lulla, que governa subterraneamente.

Parece-me que Palocci não tenciona “descer da árvore”. Taí uma boa oportunidade para Dilma se livrar do espectro de seu criador. Se fizer isso, ela pode sair do “paraíso petista” com uma mão na frente outra atrás, mas sairá com a consciência em paz.

Estou agora mesmo com a Veja que saiu hoje nas bancas. Ela traz detalhes irrepreensíveis (vasta documentação) do mundo subterrâneo palocciano. Acho que foi a a gota d’água para virar a página de mais um PALOCCIGATE.

O laranja do poderoso e astuto ministro – Dayvini Costa Nunes −, abriu o livro. Disse ele: “ meu Deus, nunca tive um dinheiro desses! O que fizeram com o meu nome? Se eu tivesse um dinheiro desses, acha que teria abandonado a faculdade por não pagar as mensalidades?”

RODRIGO PHANARDZIS ANCORA DA LUZ disse...

Sinceramente, eu vejo o ministro bem tranquilo e acho fácil provar o rápido enriquecimento.

Ele saiu do governo e o fato de ser um ex-ministro ajuda muito na captação de clientes porque uma pessoa dessas tem informações privilegiadas.

Pra uma grande emrpesa pagar R$ 2.000.000,00 de consultoria pra ele em troca de informações ainda é barato porto dos lucros que vão ser obtidos.

Infelizmente as cosias são assim e acho que nenhum período de quarentena impede um alto funcionário de ser procurado pelo mercado por sua influência e conhecimento. E isto acontece também na minha profissão, quando ex-magistrados se aposentam e são cobiçados por grandes escritórios de advocacia afim de que se associem.

No caso do ministro, penso que pode haver coisa errada sim. Só que é muito complicado provar e daí eu ter o palpite de que em breve esta novela será página virada e o povo brasileiro não está nem aí pra esta situação. Aliás, as pessoas votaram na Dilma foi porque estavam satisfeitas com a economia e o eleitor não queria perder seu emprego.

Abraços.

RODRIGO PHANARDZIS ANCORA DA LUZ disse...

Em tempo!

Para o político fazer uso do caixa 2 e de recursos ilícitos numa campanha não mexe em nada com seus valores éticos.

Hoje em dia ninguém mais faz campanha majoritária sem o dinheiro do caixa 2. Sem deviar grana e criar empresas laranjas que depois financiarão parte do dinheiro a ser gasto. E as quantias são enormes. Numa campanha para presidente, gasta-se bilhões...

Só que na mente de um político, mesmo os que se sentem comprometidos com o social, é justificável agir assim. Pois ele entende que estar no governo, bem como o seu partido, é indispensável para promover mudanças sociais nas quais ele acredita. E isto eu dogo a respeito dos que são idealistas. Não dos outros que só querem estar no poder e às vezes roubam muito mais.

Não quero defender a Dilma, o Palocci e nem o PT. Pra mim, o político com ética e que deseja mudança não pode ficar entrando na jogada do sistema, motivo pelo qual eu admiro a Marina Silva ter buscado o financiamento de colaboradores na sua campanha em 2010.

Aguém precisa fazer diferente!

Abraços.

Levi Bronzeado disse...

“Para o político fazer uso do caixa 2 e de recursos ilícitos numa campanha não mexe em nada com seus valores éticos”. (Rodrigo)

À título de complementar a sua frase acima:

Logo, logo, mensalão, superfaturamento, caixa dois, expediente de fabricar laranjas, carregamento de dólares em cuecas, serão coisas banais e normais do mundo das negociatas em nome do povo.

Já é de amplo conhecimento da polícia Federal que a tabela de preços adotada pelo governo para pagar materiais em obras públicas contém “ocultamente” um sobrepreço de até 145% maiores que os praticados normalmente no comércio, para engordar a boiada que está acima da lei.

Por felicidade (ou infelicidade), o cidadão comum não faz parte desse submundo político. Para ele, sim, e não para os “Parceiros do Rei” é que existe a constituição.

Um exemplo emblemático está na velha raposa política de São Paulo, Ademar de Barros (1901 – 1969), que é lembrado por suas obras e pelas várias suspeitas de desvio de dinheiro público. O seu famoso jargão “ROUBA MAS FAZ”, ainda permanece como marca registrada dos nossos veneráveis que legislam e governam a casa da mãe Joana, chamada Brasil.

Num país impune como este, faço também minhas suas palavras:

“Sinceramente, eu vejo o ministro bem tranquilo e acho fácil provar o rápido enriquecimento”.


Abraços,

RODRIGO PHANARDZIS ANCORA DA LUZ disse...

Amigo Levi,

Apesar de ter somente 35 anos, já tive a experiência de ter andado com políticos desde que comecei a me meter no movimento estudantil nos anos 90.

Com o tempo fui entendendo que na mente de muitos deles prevalece pensamentos como os de Maquiavel e de Nietsche. É como se o valor pra eles estivesse no vencer, no agir como homens implacáveis na conquista do poder.

Mas é claro que o discurso feito para o povo é diferente e se adequa ao pensamento oscilante da maioria. Até porque seria caótico se o povo pensasse como Maquiavel ou Nietsche.

RODRIGO PHANARDZIS ANCORA DA LUZ disse...

Em tempo!

Falando da Dilma, eis aí uma boa crônica para que pensemos sobre a tartaruga que subiu no poste:


Tartaruga em cima do poste


Enquanto suturava um ferimento na mão de um velho almeida, cortada por um caco de vidro indevidamente jogado no lixo, o médico e o paciente começaram a conversar sobre o país, o governo e, fatalmente, sobre o Sócrates.
O velhinho disse:

"Bom, o senhor sabe... o Sócrates é como uma tartaruga em cima do poste...".

Sem saber o que o almeida quis dizer, o médico perguntou o que significava uma tartaruga num poste

E o almeida respondeu:

"É quando o senhor vai indo por uma estradinha, vê um poste e lá em cima tem uma tartaruga tentando se equilibrar".

Isso é uma tartaruga num poste.

Diante da cara de interrogação do médico, o velho acrescentou:

Você não entende como ela chegou lá;

Você não acredita que ela esteja lá;

Você sabe que ela não subiu lá sozinha;

Você sabe que ela não deveria nem poderia estar lá;

Você sabe que ela não vai fazer absolutamente nada enquanto estiver lá;

Você não entende porque a colocaram lá;

"Então tudo o que temos a fazer é ajudá-la a descer de lá, e providenciar para que nunca mais suba, pois lá em cima definitivamente não é o lugar dela".

SFF façam circular:

Ajudem a Tartaruga a descer do Poste!

(Fonte: http://carlosalmo.blogspot.com/2011/06/tartaruga-em-cima-do-poste.html )

levi bronzeado disse...

Boa Rodrigão

Faço minha essa parte que eu pincei do seu comentário lá no blog "carlosalmo.blogspot.com":

"Lamentavelmente temos muitas tartarugas na política ocupando cargos públicos. Principalmente nos dias de hoje em que vivemos uma democracia hereditária no país.

Abçs

claudiopimenta disse...

ele ta tranquilo mesmo

iguazinho o irmao do lula que era porteiro de um edificio ganhando 600 contos por mes


olha agora que ele ganha isso por minuto



o paloci tem a maquina do lado dele
eles fazem o que querem

quem te viu e quem te ve ne pt ?
quando era opoziçao perseguia os pobres dos tucanos

agora pratica tudo que condenava e tudo mais


O PIOR e a classe chamada bancada evangelica que trocou o palocci pelo kit gay


chantagem CHANTAGEM , queria ver joao batista pregando hoje no congresso nacional para a bancada evangelica


ele chamaria eles claramente de raça de V.......................