10 junho 2011

“Três Marias” no Ataque da Seleção Presidencial



Pesquisa do Instituto Gallup (ano 2000) diz que nove entre dez brasileiros acreditam que o país estaria melhor se a participação feminina na política fosse maior. Revela ainda a pesquisa que a maior parte das pessoas acredita que as mulheres são mais honestas e mais eficientes que os homens para conduzir questões como redução da pobreza, combate a corrupção, melhorias na educação, entre outras atividades.

Dilma, nossa presidente, parece mesmo está de saco cheio com o desempenho dos seus ministros mais próximos. A saída de Palocci deixou-a, finalmente, livre para eleger um triunvirato feminino que regerá, doravante, a orquestra denominada Brasil. Dizem as más línguas que as três são de personalidades fortes, que não levam desaforo para casa. Mas a presidente parece estar com a razão, pois, como disse Alphonse de Lamartine: Há sempre uma mulher na origem de todas as grandes coisas”

E agora, temos a reger o nosso destino, as três mulheres mais poderosas da república: Dilma, Gleisi Hoffmann, e Ideli Salvatti . Essa última foi fisgada do ministério da pesca para convencer os peixes (deputados e senadores) do aquário tenebroso (Congresso) a obedecerem às poderosas ordens femininas.

O governo deixou os “planetas” de fora e agora passou a ser das “estrelas”, em consonância com o romance As Três Marias” de outra mulher a escritora cearense, Rachel de Queiroz.


Com certeza, antes de tomar a decisão de chutar os homens da república das bananas para bem longe, a presidente Dilma deve ter lido esse sensacional romance feminino que conta a história de Maria Augusta, Maria da Glória e Maria José, que por serem amigas inseparáveis, ganhou dos seus colegas professores, o apelido de “As três Marias”.


Rachel de Queiroz, nos meus tempos de escolar, escrevia sempre na Última página da Revista “O Cruzeiro”, e os temas por ela explorado iam da política à economia, à sociologia e a fatos do cotidiano do brasileiro simples do interior.

Há um trecho do romance em que, rapidamente, a imaginação me fez associar o triunvirato, Dilma, Gleisi Hofmann e Ideli Salvatti às figuras das três Marias:

e, à noite, deitadas na grama e olhando para o céu, as meninas se reconhecem na constelação com a qual dividem o nome. A estrela de cima é Maria da Glória, resplandecente e próxima. Maria José se identifica com a da outra ponta, pequenina e trêmula. A do meio, serena e de luz azulada, é Maria Augusta ou simplesmente Guta, como sempre preferiu ser chamada”

É uma pena que as noites estreladas sempre estejam a intercalar com os dias de verão, dias quentes em que o Astro-Rei, SOL (Lulla) aparece com a sua luz ofuscante a irritar os nossos olhos. Ah, ia esquecendo, que, ainda bem, estamos no início de inverno, onde os raios do SOL. por alguns dias, permanecem obliterados por densas nuvens. Nuvens essas, protetoras, como aquelas que protegeram os Hebreus no seu êxodo do Egito para a Terra prometida.


...Oremos por essas três aeromoças do grande Boeing em turbulência, chamado Brasil


Ensaio por Levi B. Santos

Guarabira, 10 de junho de 2011

5 comentários:

RODRIGO PHANARDZIS ANCORA DA LUZ disse...

Bom texto, Levi!

Acredito que os tempos da Lua (da mulher) estão de volta depois de milênios de patriarcalismo. É o que acontece hoje não só no Brasil como em outras nações também. E há quem diga que o próximo passo seria aumentar a presença do feminino na iniciativa privada...

Apesar dos erros praticados pela Dilma (um deles foi não ter recebido pessoalmente a iraniana que luta contra a opressão dos aiatolás), minha expectativa é que ainda teremos um governo melhor do que os anteriores. E o meu palpite é que desta vez Dilma poderá ter como maior concorrente maior outra mulher - Marina Silva.

Que a vaidade solar de Lula não ofusque o brilho dessas nossas estrelas!

Abraços.

Eduardo Medeiros disse...

levi, maravilha de texto!!

realmente a trindade feminina está no leme. a demissão do palocci foi uma pequena mostra que a dilma mandou para o lula, que queria a todo custo que o ex-ministro ficasse na casa civil.

afinal de contas, parece que dilma não vai dizer sempre sim para o sol...

a ideli é casca grossa. já a vi muitas vezes na tv senado defendendo o pt, o governo e o lula com unhas e dentes. mas foi engraçado quando a dilma escalou ela para o ministério da pesca e ela não entendia nada de peixes! e o ministro da previdência, o garibaldi que disse que não entendia nada de previdência mas ia aprender....tiririca está fazendo escola...kkkkkkkkkkkk

oremos, pois, mestre levi, pela trindade feminina!

RODRIGO PHANARDZIS ANCORA DA LUZ disse...

"afinal de contas, parece que dilma não vai dizer sempre sim para o sol..."


Meu caro Edu,

Estou de acordo com o que você disse e verifiquei logo no começo do governo Dilma uma sensível diferença entre ela e algumas políticas adotadas por Lula, tipo defender as mulheres iranianas contra penas cruéis. Se bem que ela foi hipócrita em não ter recebido a líder feminina exilada daquele país. Mas tomara que não seja só cena ou uma estratégica recuada para depois dar prosseguimento às ambições chavistas da esquerda do PT.

Abraços.

Levi Bronzeado disse...

Edu e Rodrigo


O grito de Dilma para os machistas do congresso foi esse: Três mulheres no topo ou morte??? (rsrs)

O que me surpreendeu foi a nomeação da Ideli Salvatti para intermediar a conversa com os políticos. Logo ela, a quem apelidaram de “trator” e “Pit Bull” no tempo em que defendia o imperador Lulla?

Enfim, desejo que esse histórico triunvirato feminino da parte mais alta do poder, dure mais tempo que os fogos de artifícios da festas juninas que se aproximam (rsrs)

O tempo, como senhor de tudo, é quem vai dizer se o mundo das articulações políticas é realmente das mulheres. (rsrs)

Douglas Flores disse...

Olá. Gostaria de comunicar que já estou providenciando o link para seu blog no www.odeuscontemporaneo.blogspot.com Ficaria grato se você fizesse o mesmo. Grande Abraço, Deus abençoe!