26 abril 2012

A ARTE DE CRIAR “FACTOIDES”




Por Levi B. Santos



Foi o escritor norte americano, Norman Kingsley Mailer, que em 1973 criou o termo “factoide”. Ele definiu factoides como fatos que inexistiam antes de aparecerem em uma revista ou periódico ― destinado a manipular a emoção da Maioria Silenciosa (Fonte – Aulete).  Este termo já foi bem absorvido pela nossa cultura tupiniquim, e serve, na maioria das vezes, aos que estão entronizados no poder.

O grande factoide do momento se chama “Cachoeira” e, às vésperas do que já se denominou o “Julgamento do Século” (O Mensalão), como  poderosíssima força de uma gigante cachoeira, vem com o propósito nobre e “sublime” de provar que todos são “farinha do mesmo saco”.

Numa briga encarniçada, esta semana, engalfinharam-se os representantes maiores de nossa republiqueta e seus fiéis vassalos petistas, para ver quem seria o alçado ao posto maior da investigação do faz de conta. O indicado para RELATOR foi o Odair Cunha do PT de Minas, que já deu o seu primeiro pontapé na bola, ao dizer: “O Carlinhos, suposto líder de um esquema de exploração do jogo ilegal, e pivô das “investigações”, só será ouvido pelos paralamentares da CPI mista, no momento adequado. (Fonte: site TERRA)

O criador do factoide do “Grande Circo Brasileiro” do momento, já disse a que veio, ao dar o seu tom maquiavélico, na voz do próprio relator, dando a entender que ela não chegará ao andar de cima. (rsrs)

Enfim, a CPI de Cachoeira começou esta semana, e a nós da platéia, só resta sentar em nossas poltronas ao lado de uma tigela de pipocas para assistir a mais um episódio de um filme interminável a que um dia deram o nome de “gigante pela própria natureza” que, no fundo no fundo, desde a sua “afundação” tem se transformado na “Casa da Mãe Joana”, onde todos se locupletam e fazem o que querem ao seu bel prazer.


Site da Imagem:  verdadebancoop.wordpress.com
Assista agora, caro leitor e amigo, a este sensacional vídeo –, o primeiro da nossa mais recente Novela do Horário Nobre: “O Factoide  Cachoeira” -  Elaborado pela Turma do "CQC"


4 comentários:

Eduardo Medeiros disse...

Levi,

será que o PT vai conseguir jogar fumaça no julgamento do mensalão com essa água toda dessa cachoeira? Pelo visto, essas águas passam por todas as siglas partidárias do congresso.

Lamentável.

Logo o Demóstenes, grande orador!!!!!! rssss tá comprovado: cultura e inteligência são apenas combustível que ajudam nas maracutaias dos sem ética.

Eduardo Medeiros disse...

Levi,

tô reformando meu antigo "caminhos da teologia" para veredas do pensamento, pois estou abrindo o leque de temas que quero postar por lá. O seleções do vai ficar de molho.

tem alguma explicação psicanalítica para esse meu afã em mexer nos meus blogues??? kkkakakkakakka

Levi Bronzeado disse...

EDU

Mensalão, CPIS, é tudo um jogo. Se forem realmente bem astutos, todos sairão ganhando, menos o povão. (kkkkk)


Quanto a sua permanente mania de mexer nos títulos dos seus blogs, mostra que a vida é dinâmica, Edu.

No blog que você aludiu, a troca do termo caminho por veredas e Teologia por Pensamento se reveste de profundo significado (rsrs)

Vereda, segundo Euclides da Cunha, é um termo metaforicamente muito mais rico do que caminho. Veredas, diz ele, em “GRANDE SERTÕES – VEREDAS” , é um lugar muito belo e aprazível, um oásis repletos de pássaros cantando ao raiar do dia e ao amanhecer. E tem também seu lado perigoso: no inverno a vereda se transforma em pântano onde o indivíduo tem que contorná-la pelas cabeceiras, pois se cruzá-la pelo meio, fatalmente se atolará (rsrs)

Em suma, você mexeu bem: o termo Vereda é muito mais carregado de sentido que o simples “caminho”.

RODRIGO PHANARDZIS ANCORA DA LUZ disse...

Vou polemizar!

Sem querer defender o PT, penso que eles roubaram menos em termos proporcionais do que muitos governos passados.

De qualquer modo, o PT não rouba sozinho. Junto está o PMDB...