05 junho 2014

Podemos Fazer o Diabo Quando é Hora de COPA

Estação da Luz Superlotada  (hoje)  – São Paulo


Por Lei, a revisão, aumento ou reajuste de salário do funcionalismo público, não podem ocorrer dentro dos 180 dias que antecedem as eleições.

Ante a notícia de que a Polícia Federal entraria em greve nos próximos dias, a presidenta Dilma correu às pressas para uma conversa com seu ministro da justiça, Eduardo Cardozo. A polícia Federal em greve seria o caos do caos, pois paralisaria o forte esquema de segurança nos aeroportos nacionais, e principalmente inibiria a possível nomeação de Cardozo para a vaga do ministro Joaquim Barbosa, que vai deixar o Supremo agora em junho. [Vide Link]

A única solução encontrada para o governo petista sair dessa saia justa foi a de burlar a legislação dando aumento de 16% aos Policiais Federais, à revelia do que o TSE decidiu.  De tudo isso, o que ficou demonstrado foi o poder de fogo da categoria profissional ― Polícia Federal. [Vide link]

Seguindo a regra infalível de que quem tem poder de pressão sobre o governo consegue o seu intento, os metroviários de São Paulo deram início a sua greve, em consonância com o ditado que diz: “Por onde passa um boi passa uma boiada”. “Se passou o aumento salarial dos policiais federais, por que não o nosso?” ― inquirirão os líderes das outras categorias.

O governo de São Paulo, nos últimos dias, evitando tocar no tema ― “aumento dos policiais federais” ―, fez seu “sapiente” julgamento: “a greve dos metroviários é abusiva e de natureza política”.  Deu a entender que estão aproveitando o momento da Copa, pela visibilidade que o evento proporciona. Em suma, o que o matreiro governador fez, foi sair pela tangente. [Vide Link].

O governo, que vaticinou que essa será a “Copa das Copas”, parece que não vai dar bolas para às leis vigentes. Se houver alguma contestação na justiça sobre aumentos salariais concedidos não haverá tempo hábil para uma discussão sobre o que é ou não burlar as leis em ano eleitoral, principalmente diante de um mega-evento como a Copa 2014, que será vista por três bilhões de pessoas no mundo.

 Parodiando a frase - “Eu não posso é perder esse emprego!” ― de Nico Bondade (personagem de Chico Anysio no programa humorístico “Chico City”) a presidenta a essas horas, está a dizer para si e para seus auxiliares mais diretos: “Olhem, Eu não posso é perder essa Copa!”

O sucesso da recente greve dos garis no Rio de Janeiro e a concessão de aumento de salários à P.F vai arder ainda mais a chama do “me dá o que é meu, senão a Copa vira um caos”.  Já pipocam pelo país a oito dias da Copa, movimentos grevistas em 12 categorias profissionais. [Vide link]

Não me surpreenderia, de forma alguma, se Dilma, para se ver livre das paralisações em massa em meio a Copa, decidisse antecipar para todo mundo, os aumentos de salários que seriam dados em 2015 ― ano em que já re-eleita, cobraria a farra com juros e dividendos, através de aumentos na energia, na gasolina, na taxa selic e impostos como, IR, IPI, IOF, COFINS entre outros.

Em março de 2013 ― num discurso que fez em João Pessoa (Pb) ―, a presidenta deixou escapar do seu inconsciente uma célebre e incômoda verdade. Disse: “Podemos fazer o diabo quando é hora de eleição”. Transportando o mesmo raciocínio político para a esfera do evento “Copa das Copas”, bem que a presidenta poderia dizer: “Podemos fazer o diabo quando é hora de COPA”.


Por Levi B. Santos
Guarabira, 05 de junho de 2014

 Site da Imagem: oglobo.globo.com

7 comentários:

RODRIGO PHANARDZIS ANCORA DA LUZ disse...

Eventos semelhantes ocorreram há quatro anos em África do Sul durante os dias/meses que antecederam aquele Mundial anterior.

Dessa vez, as manifestações que temos visto na TV são bem diferentes das que ocorreram ano passado durante a Copa das Confederações. Agora temos o predomínio de categorias organizadas cujos líderes sabem o que eles querem. Algo que deve entrar em acordo no decorrer da semana.

Por se tratar de ano de Copa e de eleições, o governo vai querer deixar o povo bem satisfeito. Principalmente as categorias com maior poder de pressão.

RODRIGO PHANARDZIS ANCORA DA LUZ disse...

Realmente essa Copa tem sido bem fria e as ruas não estão tão enfeitadas como eram antigamente.

Lembro bem que, em meus tempos de menino, na década de 80, a vila onde minha bisavó morava na Zona Norte do Rio ficava toda enfeitada. Recordo muito bem da simpática figura do Laranjito, das bandeiras nas janelas e dos muros pintados das casas. Em 82, a cada gol da "seleção canarinho", minha avó materna batia histericamente na velha geladeira que, devido ao pequeno tamanho da cozinha, ficava na sala próxima a uma antiga cristaleira.

Agora, no entanto, caminho pelas ruas e já não vejo tantos enfeites, o que acho uma pena. Afinal, apesar de toda essa gastança do dinheiro público, o jogo não perde a sua beleza e nem tão pouco o ato de festejar. E, como expus hoje em meu blogue, vou torcer.

Levi Bronzeado disse...

“Quanto maior o conhecimento maior o desgosto” (Eclesiastes 1:18)

A Copa sempre foi alegre e esfuziante até o dia em que quase a totalidade do povo tomou conhecimento das trapaças e tenebrosas transações que correm nos bastidores. Se Copa significa rios de dinheiro desviados para os bolsos dos políticos e cartolas do futebol, os assalariados, que já não são mais tão néscios, vão fazer com certeza suas reivindicações para que algum dinheiro que lhe foi extorquido através de impostos abusivos, volte a seus bolsos. É justo.

Vou torcer, mas não com aquela gana inocente e fanática de antigamente.

Que ganhe a seleção que jogar o melhor futebol. Isto, se não houver, como anunciam, manipulação de resultados.

Levi Bronzeado disse...

O CLIMA DE COPA JÁ COMEÇOU:

“A greve dos metroviários de São Paulo e dos agentes de trânsito da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) prejudicou a chegada de dirigentes da Fifa a São Paulo.

Cartolas da entidade que chegaram na manhã desta quinta-feira (5) ao Brasil ficaram presos no trânsito pesado e gastaram até três horas no trajeto entre o aeroporto de Guarulhos e o hotel Hyatt, na zona sul paulistana”. (kkkkkkkkkkkk)

Leia mais, clicando no link abaixo:

http://www1.folha.uol.com.br/esporte/folhanacopa/2014/06/1465508-cartolas-ficam-presos-no-transito-de-sao-paulo-e-dao-susto-na-fifa.shtml

Levi Bronzeado disse...

Eleições 2014: servidores estaduais e federais não podem ter aumento real após 8 de abril” [Tribunal Eleitoral]

Vide LINK:

http://www.tre-rj.jus.br/site/noticias/jsp/noticia.jsp?id=100013&sessao=0.115312398607332

Mas como em época de Eleição (e de Copa) se pode fazer o Diabo, eu fico calado. (rsrs)

eduardo medeiros disse...

Levi, eu cheguei à conclusão de que os grevistas estão certos. Tem mesmo que aproveitar a Copa para conseguir seus merecidos aumentos como fez a PF. Mas não vejo muito sentido nos grupos que estão anunciando que "não vai ter copa". A copa vai ter, com protesto ou sem protesto. É claro que é válido essa cabeça crítica do torcedor brasileiro que apesar de gostar de futebol, já não é mais inocente e põe a boca no trombone para denunciar a roubalheira.
Mas se não queriam de fato a copa, por que não disseram isso lá quando o país foi escolhido?

Eu também já não fico deprimido como fiquei em 82 com a derrota da melhor seleção que eu tinha visto jogar. Hoje continuo torcendo, mas também estou no "que ganhe o melhor".

Levi Bronzeado disse...

Vai ter Copa, sim , Eduardo!

Em época de eleição e de Copa, se faz o diabo.

A justiça declarou ilegal a greve dos metroviários. Mas o diabo faz com que ninguém obedeça nem mesmo as leis.

É o samba do crioulo doido: Dilma e seu ministro da Justiça acharam o Alckmin muito intransigente, por não voltar atrás nas 43 demissões que fez por descumprimento do que determinou a Justiça, quando por cima, os metroviários incitaram mais a greve ao invés de a suspenderem.

E a decisão judiciária foi para o lixo em nome da “Copa das Copas”. (rsrs)

E por falar em Justiça, a do Amazonas também está fazendo seu movimento grevista.

E Viva a Copa das Copas que alimenta as greves!!! (rsrs)