17 março 2009

O PODER SEDUTOR DA MÍDIA GOSPEL



Desde os anos sessenta, os EUA, como capital mundial das celebridades e como pátria da fabricação de imagens em quantidade e velocidade nunca vista, vêm exportando para nosso país o movimento gospel neo-pentencostal. Esse tipo de manifestação tomou um impulso extraordinário nos últimos dias, tanto lá como aqui, nas terras de D. João VI, encontrou terreno fértil para propagar as suas ideias, e, como uma epidemia incontrolável, vem se alastrando, contaminando os não vacinados, com o vírus maléfico da sedução, que transformou o símbolo da cruz, em passaporte para o “reino interno”.


Essa indústria de entretenimento religioso tem anestesiado as massas, e sobre elas, tem causado um impacto assustador. O seu objetivo (está claro), não é de pregar e ensinar as verdades existentes na mensagem de Cristo, e sim, o de fazer unicamente a propaganda da fé.


Os programas empacotados trazidos dos EUA empanturram e saturam as almas que procuram apoio espiritual para suas agruras. Nunca se viu tantas celebridades e estrelas gospel, subindo e descendo dos palcos dos templos, para dar o seu recado mercadológico de diversão, conforto, e conveniência ou prazer, que mais parecem emanações fantasmagóricas.


Eu me pergunto: Como é que tantos, passam horas e horas escutando mentiras, promessas de prazeres rasteiros num grau sem precedentes?


Ah! Como esses líderes midiáticos sabem tão bem amarrar as suas vítimas nas engrenagens mortais de suas máquinas. Será que a única coisa que consola o sofrimento desse povo, é a diversão? Na mídia gospel se sabe que o entretenimento forma hábitos. Na busca de excitação, as pessoas podem tolamente imaginar que a posse de objetos, as tornarão mais felizes. E o que fazem: deixam de ver o único caminho possível para a salvação ─ a devoção cristã.


Lembro-me agora, do que li sobre o famoso cantor e compositor Americano, Bruce Springsteen. Acostumado a fazer shows para centenas de milhares de pessoas, ele sempre falava esse refrão gospel diante da multidão em delírio: “Não posso lhe prometer a vida eterna, mas posso lhe prometer a vida bem AGORA”. Eis aí, a nobre promessa da mídia gospel. Quando Bruce, através de seu ministério do “rock’n’roll”, gritava para uma imensa platéia enlouquecida, os seus fãs respondiam com um trovão de vozes, retribuindo-o no mesmo espírito. O vínculo do fã com a estrela gospel é o mesmo do torcedor fanático com o seu time.


Eu me pergunto: Por que eles nomeiam de “poder divino” ou “avivamento do alto”, esses excessos de sentimentos que raiam à beira da loucura? Por que não ser fã de um ídolo gospel, hoje, é o mesmo que nadar contra a maré? Maré essa, constituída por congressos e reuniões onde se debatem os últimos sermões e obras das celebridades importadas, todos usando devidamente suas estrelas no peito, como marcadores de distinção.


Eu me pergunto: Onde está o senso crítico dessa gente? Como é que se deixa ser levada por essa espúria “facticidade sacrossanta”? Como é que eles se realizam, absorvendo os produtos de ilusão dessa fábrica de manufaturas “inspirituais”? Como se deixam ser subjugados pela lengalenga vazia dos pesadelos gospel? Como se deixam passivamente ser sugados pelos “vampiros de almas” que assolam as igrejas de nosso país?


Uma constatação triste assoma a minha mente nesse instante: Os discursos gospel com seus estilos sanguinário, explosivo e dilacerador têm, indubitavelmente, um poder de atração fora do comum para entorpecer as massas. Não foi à toa, que os filmes “Duro de matar 1, 2, 3 e 4; Máquina mortífera 1, 2, 3 e 4”, tiveram um sucesso imenso de bilheteria em todo o mundo.
Diante de tudo isso, como então admitir que os “Rambos” da mídia gospel, possam um dia, arrefecer o seu poder de sedução sobre as multidões, para que enfim, Cristo apareça?



Ensaio por Levi B. Santos
Guarabira, l7 de março de 2009

4 comentários:

Leonardo Oliveira disse...

Olá. Estou aqui para afirmar publicamente que concordo com cada letra, ponto, vírgula e sentido desse texto. A Verdade nua e crua é o que precisamos ouvir nesses dias tão mentirosos!
Um grande abraços,
http://crentequepensa.blogspot.com

João Paulo Fernandes disse...

Esse eu publico lá no blog..rsrsrs.
É TRISTE O QUE TEMOS NOTADO, POVO EVANGELICO SEDENTO DE NOVIDADES E MUITO POUCO DA EXPOSIÇAO DA PALAVRA DE DEUS!
Apliquei um estudo na minha Igreja ano passado, intitulado " a influência da pós-modernidade na Igreja", elenquei alguns tópicos que possa responder talvez a uma de suas perguntas: "Como é que tantos, passam horas e horas escutando mentiras, promessas de prazeres rasteiros num grau sem precedentes?"

1 - Evangelho da Auto-Ajuda. (Que todo mundo gosta, receitas prontas contra os problemas financeiros, espirituais, etc).O homem no centro.

2 - Evangelho Idólatra e Supersticioso. (Idolagria Gospel, Pedras, Cajados, Água benta, Óleos, Anéis, etc).* Heranças histórica do nosso país, o "povo" adora coisa mística.

3 -Evangelho Sacro-Mantra-Chorôrô-Gospel. (Chôrôrô excessivo e com forte apelo emocional e sensasionalista, geralmente associado a formas e poderes, através de "levitas" intocáveis e cheios de visões, e profecias.Quando toca no emocional, abrindo mão inteiramente da razão,facilita a " entrega total"

4 - Evangelho Numerológico. (Igreja Cheia, Templo cada vez maior, até atingir o objetivo final, a compra do Estádio da Cidade, sem se preocupar em cuidar das almas, mas de ter números, quantidade, um caminhão de crentes domingueiros, e sem conhecimento bíblico avançado, mas somente nas doutrinas oferecidas geralmente pelo "ungido" que as recebe e as transmite mastigada para seus discípulos.E o pior, confundem crescimento com inchaço.

Sim, é preocupante, Triste, medonho e cada vez mais difícil de se combater...Mas fico com a Palavra do Senhor em II Timóteo 3:14
"Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste e de que foste inteirado, sabendo de quem o aprendeste", ou seja, DA PALAVRA.

Sola Scriptura!

Levi Bronzeado disse...

Prezado Leonardo oliveira

Concordo com você. Na nobre missão de evangelizar, não podemos representar, como fazem os atores de teatro. A verdade nua e autêntica de Cristo, às vezes dói.


Caro João Paulo


As crendices e os misticismos da onda gospel, nada mais são que a reedição do “bezerro de ouro” do tempo de Moisés. Os que praticam estes tipos de idolatria para consumo imediato, estão novamente crucificando o próprio Cristo.
No insano desejo de satisfazer os seus instintos bestiais (sob o rótulo de manifestação divina), eles prestam um desserviço ao evangelho, deixando-se levar pelo espírito das trevas da ignorância.

A verdade um dia prevalecerá. Não perdi a esperança.

Abraço fraternal,
Levi B. Santos

Vanessa Dutra disse...

Paz do Senhor!

Muito bom o texto!
A foto do começo é horripilante! rsrsrs

Deus continue te abençoando!